Estoril volta à Luz mas não repete onze do empate na Taça

Estoril volta à Luz mas não repete onze do empate na Taça
Miguel Gouveia Pereira

Tópicos

Ainda não fez um mês que os canarinhos empataram na Luz para a Taça de Portugal, mas, apesar de boa exibição, o reencontro com o Benfica vai contar com outros protagonistas

O Estoril defronta no sábado o Benfica, no Estádio da Luz, um palco com recordações agridoces para os canarinhos. Na última vez que lá jogaram, a 5 de abril, os comandados de Pedro Emanuel puseram o campeão nacional em sentido, mas o empate (3-3) foi insuficiente para chegar à final da Taça de Portugal, por causa da derrota na Amoreira (2-1) na primeira mão.

Menos de um mês depois, os comandados de Pedro Emanuel regressam ao ninho da águia e, uma vez que a permanência ainda não foi assegurada matematicamente, repetir pelo menos o mesmo resultado da segunda mão da Taça de Portugal seria ótimo para as pretensões dos estorilistas. Contudo, Pedro Emanuel deve apresentar um onze bastante diferente do que atuou nessa noite, com seis mudanças, até porque na altura, devido à proximidade de jogos decisivos no campeonato, diante do Tondela e Nacional, foi dada oportunidade a jogadores que não são habituais titulares.

As alterações começam logo na baliza. Luís Ribeiro foi titular em todos os jogos da Taça e agora verá Moreira, a opção nas partidas da Liga, defender as redes do Estoril. Já na linha defensiva apenas se prevê uma alteração no lado esquerdo, com Joel, recuperado de uma lesão no ombro esquerdo, a substituir Ailton.

A indisponibilidade de Eduardo (completou uma série de cinco cartões amarelos e cumprirá castigo) e Matheus Índio (a recuperar de uma lesão na coxa direita) garante também mudanças no meio-campo. Diogo Amado é o único resistente e terá a companhia de Mattheus, que falhou o último jogo devido a uma gastroenterite, e Carlinhos, que foi lançado na partida da Taça após o intervalo e marcou o segundo golo canarinho.

No ataque, Kléber e Allano juntar-se-ão a Licá, num trio que promete criar muitos problemas aos defesas encarnados. Já Gustavo Tocantins verá o jogo do banco, tal como Bruno Gomes, ele que até bisou nessa partida da Taça de Portugal, golos que, porém, foram insuficientes para convencer Pedro Emanuel a colocar o camisola 9 nos três jogos que se seguiram.