Déjà vu? Há um ano o Covilhã, com 13 jogadores, foi a jogo com o Estoril

Déjà vu? Há um ano o Covilhã, com 13 jogadores, foi a jogo com o Estoril

Após o sucedido no Belenenses-Benfica, da corrente temporada 2021/22, os clubes, reunidos em Assembleia Geral Extraordinária da Liga, aprovaram que uma equipa deve ter um mínimo 13 jogadores na ficha para ir jogo.

O surto de covid-19 continua a alastrar-se no Estoril e, ao que O JOGO apurou, os testes realizados esta terça-feira detetaram mais casos positivos. Neste momento, o número de infetados já ultrapassa os 30 casos, entre jogadores, equipa técnica e elementos do staff, situação capaz de colocar em causa a realização do jogo com o FC Porto, agendado para sábado, no Estádio António Coimbra da Mota.

Até porque até o plano B delineado pela SAD estorilista, que era jogar com elementos dos sub-23, também se afigura complicado, dado que o surto já se alastrou aos jogadores da equipa secundária.

A verdade é que depois do sucedido no Belenenses-Benfica, da corrente temporada 2021/22, os clubes, reunidos em Assembleia Geral Extraordinária da Liga, aprovaram que uma equipa deve ter um mínimo 13 jogadores na ficha para ir jogo. Menos do que isso, não.

Ora, toda esta situação leva o Estoril a recuar no tempo até uma espécie de dejá vu. Mas ao contrário. É que se os estorilistas forem a jogo com apenas 13 jogadores, será a segunda vez que algo semelhante acontecerá no Estádio António Coimbra da Mota.

Recuemos a 18 de janeiro de 2021, dia no qual o Estoril, então líder da II Liga SABSEG, recebeu o Covilhã, que em face de um surto de covid-19 apresentou-se com 13 jogadores. Além do onze titular, o então treinador serrano, Capucho, tinha no banco de suplentes o guarda-redes Igor e o avançado Rui Areias. O jogo acabou, ainda assim, empatado a zero.