"Quando falamos dos nossos colegas temos de falar com aquela ponta de inveja..."

"Quando falamos dos nossos colegas temos de falar com aquela ponta de inveja..."

José Mota comentou o triunfo sobre o Belenenses na Taça de Portugal, por 1-0, e consequente apuramento para os oitavos de final da prova.

Sentimento de eliminar uma equipa da I Liga: "Ficamos sempre contentes quando ganhamos. Era um adversário com valor, da I Liga, mas esse facto não nos dá mais ou menos responsabilidade para vencer jogos, pois o lema desta casa é exatamente ter a ambição de conquistar a vitória frente a qualquer adversário".

Análise: "Conhecíamos o adversário, a sua forma de organizar e sair da sua organização para procurar profundidade no Licá e Robinho, estávamos preparados, mas foi nesses movimentos que tivemos alguma dificuldade nos primeiros 15 minutos. Fomos sempre mais organizados, mais consistentes, com as linhas próximas e o adversário não conseguiu penetrar no nosso reduto defensivo. Isso permitiu-nos sair com algum critério, mas deveríamos ter tido outra qualidade no último passe, mas conseguimos um golo numa boa transição".

Equipa não se pode "pôr em bicos de pés": "Na Taça quando se está a ganhar não se pode sofrer, pois o 1-0 dá uma passagem à próxima fase. Foi uma vitória natural e justa e não nos podemos pôr em bicos de pés, pois como tenho referido, a diferença entre sete, oito equipas da I Liga e da II Liga é pouca. A nossa façanha não é diferente por isso".

Palavra a Jorge Jesus, que conquistou a Libertadores: "Todos estamos muito felizes pelos êxitos do Jorge Jesus e toda a equipa técnica portuguesa no Brasil. Parabéns, é justo por quem está a fazer tanto pelo nosso país e a demonstrar que com tão pouco se faz muito. Dois títulos quase no mesmo dia é obra e quando falamos dos nossos colegas temos de falar com aquela ponta de inveja, pois gostaríamos de estar lá, mas parabéns ao futebol português e aos homens que têm demonstrado isso além-fronteiras".