"Soubemos estar, desferir golpes fatais e é uma vitória importantíssima"

"Soubemos estar, desferir golpes fatais e é uma vitória importantíssima"

José Mota, treinador do Chaves, analisou a vitória expressiva (4-1) diante do Nacional.

Análise ao jogo: "O adversário valorizou a nossa vitória. O Nacional ia aqui jogar a sua última cartada, pois perante o cenário que tem no campeonato é normal que sentisse que este era um dos jogos mais importantes da época e nós também tínhamos de pensar da mesma forma. O jogo correu-nos de feição, marcámos, poderíamos e deveríamos ter tido mais posse de bola e a grande penalidade fez com que o adversário entrasse no jogo, mas conseguimos o golo logo de seguida. Sabíamos que tínhamos de explorar muito bem os espaços que o adversário iria conceder, pois ia arriscar, e fizemos bastante bem. O adversário não teve oportunidades de golo e aproveitámos os espaços na segunda parte para fazer o 3-1 e 4-1. Todos os momentos são bons para marcar, mas os nossos surgiram em bons momentos. Soubemos estar, desferir golpes fatais e é uma vitória importantíssima. Os jogadores deram tudo o que tem e o público foi maravilhoso e ajudou a esta vitória que só é fácil pois chegamos ao 4-1."

Ciclo: "Conseguimos um ciclo de três jogos sem perder, fizemos quatro golos, que ainda não tínhamos conseguido durante a época, a minha primeira vitória aqui em casa, e são situação novas que aconteceram e que tem de nos motivar para o futuro."

Três golos de William: "Ele trabalha muito, é muito exigente com ele próprio, mas há um fator que é importante, os avançados não fazem golos se a bola não chegar lá. Isso aconteceu fruto do trabalho que todos os dias fazemos para chegar ao golo e ter estes resultados, e para que ele faça três golos e todos os outros. Estamos todos muito contentes por ele e que continue a dar o que tem para a equipa."

Bressan permitiu a William marcar a grande penalidade: "Não gosto de alterar o que está definido. Mas não foi só o público a exigir, senti que o grupo estava todo com o William e tenho de olhar para o que o grupo pretende.

Ausências: "O grupo estava muito solidário e queria dar esta vitoria ao André Luís e João Teixeira, que estão a atravessar problemas de saúde. Pretendemos que recuperem o mais rápido possível, pois têm sido atletas que tem dado tudo em prol da instituição".