"Tenho contrato com o Braga, mas ainda não falei com o clube"

"Tenho contrato com o Braga, mas ainda não falei com o clube"
Pedro Marques Costa

Tópicos

Ryller foi um dos destaques do Bragantino, que conquistou a Série B. Cedência termina no final do ano.

Em janeiro de 2018, o Braga anunciava a contratação de Ricardo Ryller por 250 mil euros, depois de o médio se ter destacado na Série B ao serviço do Luverdense. Durante o ano e meio que se seguiu, Ryller acabou por ser poucas vezes utilizado por Abel Ferreira (19 jogos, apenas cinco como titular), pelo que decidiu, no último verão, regressar ao Brasil para abraçar um "projeto aliciante". Foi emprestado ao Bragantino, um clube do interior de São Paulo que se tinha acabado de associar à empresa austríaca de bebidas energéticas Red Bull. Passados seis meses, o Bragantino acabou mesmo por garantir o regresso à primeira divisão brasileira, 22 anos depois da última vez que por lá andou, num feito adocicado pela conquista antecipada do título de campeão da Série B. "Têm sido grandes momentos e um desafio permanente. Fizemos uma excelente campanha, do início ao fim do campeonato, e cresci muito como pessoa e jogador", começou por contar Ryller, em conversa com O JOGO. "A partir do momento em que decidi sair do Braga, o Bragantino mostrou um grande interesse em contar comigo. Estou muito feliz, porque sinto que tomei a melhor opção para a minha carreira", prosseguiu.

Ryller contribuiu com três golos nos 17 jogos que realizou até ao momento pelo Bragantino (ainda falta disputar duas jornadas), um clube que se quer "impor no futebol brasileiro" à boleia da parceria com a Red Bull. Falta saber, no entanto, se esse futuro se fará com ou sem Ryller. "Ainda não sei o que me vai acontecer. O meu empréstimo termina no final do ano. Tenho contrato com o Braga [até junho de 2022], mas ainda não falei com o clube, nem com o meu empresário. Vamos ver o que se segue." Apesar disso, o médio revelou que tem o objetivo de "jogar na Série A" já no próximo ano, num desejo que também está dependente do Braga.

Para já, o Bragantino tem a oportunidade de garantir no imediato a continuidade de Ryller a troco de três milhões de euros, a opção de compra estabelecida no momento do empréstimo, ainda que esse seja um valor demasiado elevado para o clube brasileiro. Regressar o Braga no início do ano é que parece ser uma opção pouco viável. "A verdade é que sinto que podia ter tido mais oportunidades para mostrar o meu valor. Sei do meu potencial, tenho confiança, e acredito que ainda vou mostrar muito mais. Estive um ano e meio no Braga e estou agradecido ao clube. Foram tempos de grande aprendizagem e de evolução, que hoje me permitem dizer que tenho um futuro brilhante pela frente", rematou.