"Taremi? A haver uma estrela no FC Porto é o Sérgio Conceição"

"Taremi? A haver uma estrela no FC Porto é o Sérgio Conceição"
Melo Rosa

Tópicos

Treinador do Braga defendeu que "a matriz nado FC Porto não vai mudar muito" e prometeu "encarar o adversário olhos nos olhos".

Na antevisão do primeiro jogo do campeonato, este sábado, no Dragão, com o FC Porto, Carlos Carvalhal defendeu que a grande estrela do adversário, campeão nacional, é Sérgio Conceição. O treinador do Braga começou por responder a uma questão sobre as expectativas para um jogo grande.

"Estamos preparados para a competição, fizemos o nosso percurso na pré-época e os resultados não é o mais importante, mas a evolução da equipa e observamos uma equipa a crescer, a jogar melhor, a corrigir erros. Fizemos jogos muito competitivos, que nos obrigaram a errar, como com o Benfica, com o Valladolid ou em em Bacelos. Quando fizemos dois jogos vi que estávamos preparados. Venha o campeonato, o jogo inaugural e estamos preparados. Sabemos que todos os adversários são difíceis, este será um dos mais difíceis, mas o que prometemos é que vamos à luta, vamos encarar o adversário olhos nos olhos".

Esta poderá ser uma época atípica. Estarão reunidas as necessárias condições de segurança?

"Não sou médico, mas como cidadão o que digo é que temos de viver com isto, temos de estar preocupados, mas temos de continuar as nossas atividades. O futebol é, talvez, a atividade mais regulada, hoje fiz o 19º teste. Não podemos parar e continuar a dar o exemplo".

Vantagem por conhecer Taremi?

"Taremi é um grande jogador, mas o FC Porto foi campeão nacional na época passada não por uma ação individual, mas pelo coletivo. A haver uma estrela no FC Porto é o Sérgio Conceição que fez um trabalho fantástico. Estamos preocupados é pela qualidade da equipa pelo seu todo. Através do coletivo, o Braga vai querer bater-se olhos nos olhos com o FC Porto".

O FC Porto está mais forte do que na época passada em que conquistou o título e a Taça de Portugal?

"Tem mais soluções ofensivas, mas a matriz do FC Porto não vai mudar muito. O treinador é o mesmo, os jogadores são basicamente os mesmos e tem um coletivo forte".

A fasquia está alta depois das três vitórias na época passada?

"Significa que é possível, que há confiança. É o primeiro jogo do campeonato, de uma maratona e o que queremos é lutar pela vitória nos jogos todos. Por outro lado, também implica mais respeito do adversário. Mas estes são jogos de respeito mútuo".

Como define então o FC Porto?

"Baseia-se mais no coletivo e o que temos de fazer é jogar o nosso jogo, colocar a nossa dinâmica em campo, virados para a baliza, que as pessoas gostem do que estão a ver, principalmente os nosso adeptos".

A equipa já está em ponto de rebuçado?

"De forma alguma. Temos um pano de evolução, daquilo que prevíamos estamos muito satisfeitos. A equipa percebe os momentos do jogo, tem uma matriz de querer a bola. A equipa esta preparadíssima para competir, mas é evidente que a equipa só atinge a sua plenitude passados dois ou três meses".

E já tem a assinatura do treinador?

"O Braga é uma equipa capaz de jogar no campo todo, de interpretar muito daquilo que já trabalhamos, de ter eficácia em momentos do jogo, tem boa dinâmica, mas vai ser cada vez melhor, vai jogar cada vez melhor. Há dinâmicas adquiridas e outras que se vão adquirindo. Os jogos a sério dão-nos um indicador fortíssimo. Estou satisfeitíssimo, cumprimos todas as etapas de evolução".

Poderá jogar novamente com o esquema de três centrais, como aconteceu quase sempre na pré-época?

"Não vou revelar como vamos jogar. Sabemos como vamos abordar o jogo e temos uma ideia clara sobre todos os momentos do jogo, os momentos de transição, lances de bola parada. Não estaremos na plenitude, mas estamos nesse caminho".