Rúben Micael: "Sabia que ia atirar-se para o outro lado"

Rúben Micael: "Sabia que ia atirar-se para o outro lado"

Médio acreditou que, depois de quatro mergulhos para a direita, o guarda-redes da Udinese ia lançar-se para a esquerda, no remate decisivo, e atirou a fazer história para o Braga

"Não é fácil", admitiu, Rúben Micael, o médio do Braga a quem coube a responsabilidade de marcar o último dos penáltis que garantiram mais um representante português na fase de grupos da Liga dos Campeões. No entanto, quando avançou para a bola, o madeirense sabia exactamente o que tinha a fazer para dar um final feliz à eliminatória: "Já sabia que o guarda-redes ia atirar-se para o outro lado. Nas quatro grandes penalidades, atirara-se sempre para o lado direito. Teria de ser".

Assim terminou em festa um jogo de agonia, "muito complicado", reconheceu, em declarações à TVI: "Sabíamos que eles iam entrar atrás de um golo. Infelizmente, sofremos, de novo, um golo na primeira meia hora. Criámos muitas oportunidades, podíamos ter resolvido nos 90 minutos".

Rúben Micael não jogou de início, contou, por uma questão de gestão. "Não estou na minha melhor forma", admitiu, desassombrado. "Se jogasse de início, ia sair aos 60 minutos", explicou. Assim, esperou uma hora no banco, e ainda teve muito tempo para jogar e fazer toda a diferença na época do Braga.