"No futebol há coisas que não se explicam", desabafa Abel Ferreira

"No futebol há coisas que não se explicam", desabafa Abel Ferreira

Abel Ferreira, treinador do Braga, fez o balanço da temporada concluída no quarto lugar na I Liga

Balanço: "Esta derrota não apaga o que foi feito ao longo da época. Fizemos história batendo o recorde de pontos e golos, construímos algo fantástico com uma identidade e forma de jogar, onde a estrela foi a equipa. Tal como hoje, nem sempre o que acontece dentro das quatro linhas é justo, mas a classificação final espelha essa justiça."

Sobre o jogo: "Fizemos um campeonato fantástico, jogando sempre para vencer, mas, por mais justificações que possa arranjar, a verdade é que nos últimos dois jogos tivemos oportunidades para marcar, mas, por infelicidade, não conseguimos. Hoje, apesar do vento, houve duas equipas que se baterem bem, num jogo nem sempre bem jogadr, mas em que entrámos melhor, embora, depois, o Rio Ave assumiu a iniciativa. Na segunda parte tudo mudou, fomos nós a termos mais oportunidades para marcar, mas não foi possível, e creio que não mancha em nada esta época, e no tremendo orgulho que tenho em ser treinador deste grupo."

Balanço, parte 2: "Começámos a época com 17 novos jogadores, mas fizemos um trabalho cimentado pelos resultados. É aliciante estar num clube com grandes ambições, onde nos propusemos a encurtar distância para os grandes e conseguimos, mesma sabendo que são realidades diferentes. Mas queremos continuar a fazer mais com menos, e temos já uma base criada para continuar a fazer a nossa caminhada."

O pódio: "Acreditávamos que podíamos chegar ao terceiro lugar, mas tínhamos de fazer a nossa parte. Não vale a pena ficar tristes. Sabíamos que teríamos de estar focados naquilo que controlávamos e, no final, fazer as contas. Nestes dois últimos jogos, não fomos felizes nas oportunidades que criámos. E hoje tivemos duas flagrantes. No futebol há coisas que não se explicam. Temos de valorizar o que fizemos neste campeonato."