"Não podemos dizer que estamos melhor sem o Galeno, estaria a mentir"

"Não podemos dizer que estamos melhor sem o Galeno, estaria a mentir"
Tomaz Andrade, em Tiraspol (Moldávia)

Tópicos

Castro, médio do Braga, fez esta quarta-feira a antevisão ao encontro da primeira mão do play-off de acesso aos oitavos de final da Liga Europa, frente ao Sheriff Tiraspol, na Moldávia.

Sobre o Sheriff: "Era um clube desconhecido, mas agora toda a Europa ficou a conhecê-los principalmente depois de ganharem no Bernabéu e de deixarem o Shakhtar fora das competições europeias. É a grande demonstração que têm um plantel de muita qualidade, jogadores de várias nacionalidades, resumindo, um plantel muito bom."

Sheriff não joga há dois meses. Poderá ser uma vantagem para o Braga?
"Poderá ser uma vantagem, mas aí é que reside o ponto do desconhecido. Não há jogam há muito tempo, os jogadores do meio campo para a frente já conhecemos há muito tempo, porque estivemos a estudar a o adversário e são os mesmos, na linha defensiva houve algumas mudanças. Pode ser uma vantagem para nós se entrarmos bem e se impusermos o nosso jogo. Acreditamos que se o jogo tiver um ritmo alto poderemos beneficiar por eles não jogarem há algum tempo. O que pensamos é na nossa forma de jogar."

Mudanças no Braga. Tem mais soluções?
"O Braga é uma equipa diferente. Têm saído jogadores, o Galeno era o melhor marcador da prova. Não podemos dizer que estamos melhor sem o Galeno. Estaria a mentir. Com os jogadores que temos vamos seguramente tentar dar o nosso melhor e mostrar que o Braga é um clube de competições europeias e tentar ganhar aqui para levar a eliminatória para nossa casa."

Favoritismo?
"O favoritismo não é relevante. O mais importante é entrarmos bem e conseguirmos uma vitória. Levarmos uma vantagem para nossa era importantíssimo para nós."