"Irreverência contra a maturidade do Benfica? Só depois de abrirmos o melão é que sabemos no que dá"

"Irreverência contra a maturidade do Benfica? Só depois de abrirmos o melão é que sabemos no que dá"

Carlos Carvalhal, treinador do Braga, fez esta quinta-feira a antevisão à receção ao Benfica, marcado para as 20h15 de sexta-feira e referente à 28.ª jornada da Liga Bwin.

O jogo com o Benfica e a recente paragem no campeonato: "A paragem foi boa para nós. Não temos um plantel muito extenso e alguns jovens jogadores não estão habituados a ter tantos jogos num curto espaço de tempo. Tivemos uma sequência boa frente ao Mónaco e Portimonense, mas era necessário recuperar energias. O jogo com o Benfica é de elevadíssima dificuldade, vamos entrar com tudo para tentar ganhar o jogo, tendo muito respeito pelo adversário, que está a melhorar no campeonato e a fazer uma excelente Champions. Teremos de fazer uma noite à Braga, funcionando como equipa e com os adeptos a apoiar-nos e a perceberem que temos muitos jovens e que precisam de muito carinho quando erram. Numa noite assim, poderemos ganhar o jogo".

A aproximação da eliminatória com o Rangers: "O nosso foco está virado para o jogo com o Benfica. Nem me lembro que depois teremos um jogo com o Rangers na quinta-feira. A informação que temos sobre o próximo jogo da Liga Europa é quase zero. Só me vou lembrar disso quando me deslocar no sábado para assistir ao dérbi entre Rangers e Celtic. Vamos jogo a jogo, tentando fazer o melhor possível, embora sabendo que estamos nos quartos de final da Liga Europa, sendo a equipa mais jovem da competição e a que soma mais ataques e mais remates. São aspetos extraordinários".

Jovens maduros para as exigências? "Sem contar com o David Carmo, o Francisco Moura e o Bruno Rodrigues, começámos esta época com Hornicek, Fabiano, Bruno Rodrigues, Buta, Guilherme Soares, Roger, Vitinha e o Gorby, este após a saída do Fransérgio. Só em janeiro, fruto das saídas de Mário González, Piazon, Chiquinho e Galeno, incorporámos o Rodrigo Gomes e o Falé. Não houve mudanças em janeiro, houve apostas declaradas nos jovens. Esse tipo de apostas é definido pela administração, cabe ao treinador seguir as diretrizes do presidente [da administração]. E a verdade é que esses jogadores têm crescido ao longo da competição. A evolução foi de tal forma positiva que nos levou a jogar como jogámos nas eliminatórias com o Sheriff e o Mónaco. Estão a corresponder às nossas expectativas ou mesmo a superá-las".

A indefinição no comando do Benfica: "É uma situação idêntica à nossa. O Benfica tem treinador e o Braga tem treinador. Cada um quer é potenciar os seus jogadores para tentar vencer".

A irreverência do Braga contra a maturidade do Benfica: "Temos uma ideia de jogo bem identificada e os miúdos vêm muito bem preparados. Quem integra a nossa estrutura, percebe logo isso e integra-se mais facilmente. Foi o que aconteceu por exemplo com o Roger. E alguns miúdos até estão a superar as nossas expectativas. Falta-lhes alguma experiência, mas os mais inteligentes e capazes aprendem rapidamente com os erros cometidos. E temos tirado partido da sua irreverência. Se isso é uma mais valia contra a maturidade do Benfica? Terá o seu peso. Só depois de abrirmos o melão é que sabemos no que dá".

A possível baixa de Darwin no Benfica: "Será uma decisão do treinador do Benfica. Estamos preparados para vários cenários. Estudámos bem o adversário e sabemos que podemos colocar pontos de interrogação em três jogadores. Mas a dinâmica do Benfica nunca se altera, estamos preparados para diversos cenários".