Milan vai tentar Bruno Viana e já houve quem levasse nega de oito milhões

Milan vai tentar Bruno Viana e já houve quem levasse nega de oito milhões

Milan tem observado atentamente o central e poderá avançar em breve com uma proposta de compra do passe

A continuidade de Bruno Viana é uma das maiores incógnitas do Braga. Estreado logo na segunda jornada do campeonato, frente ao Portimonense, o central conquistou rapidamente o treinador Abel Ferreira, beneficiando em parte do desaparecimento forçado (por lesão) de Ricardo Ferreira, e à mesma velocidade foi despertando atenções, destacando-se o Milan do grupo de clubes rendidos às suas características. Sexto classificado na Serie A italiana, o clube do internacional português André Silva tem observado com regularidade as exibições do brasileiro de 23 anos e prepara uma oferta para a aquisição do passe, protegido por uma cláusula de rescisão de 25 milhões de euros.

Só o internacional sub-19 Francisco Trincão está blindado por um valor superior (30 milhões) e a sociedade desportiva já fez saber que não tem qualquer interesse em vender o defesa, depois de ter desembolsado em março os três milhões de euros estipulados pelo Olympiacos como opção de compra. Por essa altura, o nome Bruno Viana era pronunciado por vários clubes e, já em abril, o Villarreal foi testemunha da irredutibilidade do Braga. O clube espanhol via no 36 dos arsenalistas o substituto ideal para o português Rúben Semedo, detido desde fevereiro por suspeita da prática de crimes, mas não convenceu a SAD com uma proposta de cerca de oito milhões, de pouco valendo a disponibilidade do jogador para experimentar um das ligas mais competitivas na Europa. No Brasil, a notoriedade de Bruno Viana subiu, de resto, em flecha: Flamengo, Grémio de Porto Alegre, São Paulo e Atlético Paranaense chegaram a perguntar em que condições poderiam assegurá-lo e depressa perceberam que ele se tornou num alvo praticamente impossível. Quando se vinculou aos minhotos até 2023, foi rotulado por Abel Ferreira como "um dos grandes negócios" que o clube fez nos últimos anos, e o tempo deu-lhe razão.