Premium Comparação: com um novo estilo a rota do Braga mantém-se

Comparação: com um novo estilo a rota do Braga mantém-se
Pedro Rocha

Tópicos

Minhotos somam à 25.ª jornada os mesmos 55 pontos da época passada. São, porém, mais as diferenças do que as semelhanças.

Dentro do modelo de jogo preferido de Abel Ferreira (4x4x2), o Braga mudou substancialmente de uma época para a outra. Reflexo das saídas de jogadores fundamentais, como Jefferson (Sporting), Danilo (Nice), Vukcevic (Levante) e André Horta (Los Angeles FC), e ainda das paragens forçadas, devido a lesões, de Raúl Silva (o central goleador de 2017/18) e Paulinho logo no arranque do campeonato, a equipa deixou de tirar partido da pontaria que defesas e médios revelaram em 2017/18 e tornou-se mais dependente dos avançados (especialmente de Dyego Sousa), responsáveis por 26 (61,9%) dos 43 golos já amealhados no campeonato.

Entre os quatro primeiros classificados, o Braga é a equipa com menos golos marcados (43) e, no entanto, chegou à 25.ª jornada com os mesmos 55 pontos que somava na época anterior, em igual período, embora desta vez mais perto (menos cinco pontos) do primeiro lugar, partilhado nesta altura por Benfica e FC Porto. É preciso recuar até 2011/12, quando Leonardo Jardim era o treinador dos arsenalistas, para se encontrar uma diferença menor - dois pontos.