Braga propõe fim dos empréstimos de jogadores e ex-árbitros no VAR

Braga propõe fim dos empréstimos de jogadores e ex-árbitros no VAR

O Braga aproveitou a primeira reunião do G15 - a próxima será a 29 de novembro - para apresentar 15 propostas. Entre elas a inclusão de ex-árbitros no VAR

O Braga apresentou 15 propostas na reunião desta terça-feira do G-15, entre as quais se destacam a criação de uma entidade autónoma para gerir a arbitragem e a antecipação do fecho de janelas de transferências de verão.

PROPOSTAS DO BRAGA

Proibição dos empréstimos entre clubes do mesmo escalão
"A possibilidade de cedência de três jogadores a um clube participante da mesma competição é uma forma indireta de exercício de influência e de condicionamento da verdade desportiva que, por um lado, permite aos clubes mais fortes criar laços e parcerias e, por outro, aumentar exponencialmente os seus quadros sem qualquer relação direta com o reforço das respetivas equipas principais, inflacionando o mercado interno".

Alterações ao sorteio condicionado
O benefício concedido a alguns clubes no sorteio das competições atenta contra os princípios fundamentais das provas e impede a igualdade de tratamento que é devida a todos os competidores. Assim, entende-se que só os critérios de ordem geográfica são relevantes para condicionamento do sorteio".

Conselho de Presidentes
"Criação de uma assembleia de presidentes das SAD e SDUQ constituintes dos campeonatos profissionais e da qual emana a estratégia que deve ser concretizada pela Direção da Liga. O Conselho de Presidentes deve integrar também o Secretário de Estado do Desporto, comprometendo assim o Governo de Portugal com as grandes decisões que influenciam a atividade e o sector de negócio. Deve integrar também os Presidentes da Liga Portugal e da Federação Portuguesa de Futebol.

Alteração de estatutos para reformulação da Direção da Liga
"O assento fixo dos três clubes que apresentam melhor somatório de classificações deve ser revisto, bem como a possibilidade de estes mesmos clubes nomearem dois representantes da Liga NOS, logo assim condicionando a atividade da Direção a uma elite. A forma de composição da Direção da Liga deve obedecer a critérios democráticos, espelhando a vontade da maioria".

Antecipação do fecho da janela de transferências de verão
Fecho da janela de transferência coincidente com a semana prévia ao arranque oficial dos campeonatos profissionais, em conformidade com a decisão já anunciada pela Premier League inglesa. A imposição desta medida deve implicar a Liga Portugal e a Federação Portuguesa de Futebol, para que, em sede própria e considerando as relações institucionais com a UEFA e a FIFA, se decida a aplicação da mesma a todos os principais campeonatos europeus.

Entidade autónoma para gerir a arbitragem
"Proposta de criação de uma entidade autónoma, externa aos organizadores das competições, que concentre e comande todo o sector da arbitragem, a exemplo do que já sucede noutras ligas profissionais".

Ex-árbitros de elite para a função de VAR
"A confusão de papéis entre os árbitros não contribui para o melhor desempenho das funções, considerando ainda que a classe varia entre os seus membros no que respeita a idade, categoria ou experiência na função. Entende-se como profícua a discussão da proposta de criação de um grupo de ex-árbitros de elite que possa desempenhar a função de VAR, libertando o atual quadro de árbitros para o terreno e inibindo os constrangimentos inerentes à relação entre pares".

Divulgação dos áudios entre árbitro e VAR
"Uniformização do critério de divulgação da informação respeitante à arbitragem e à organização dos jogos, respeitando o princípio da igualdade. Assim, a divulgação não pode ser avulsa, antes se verificando para todos os jogos da mesma competição ou para nenhum. Nesse âmbito cabe a divulgação dos áudios entre árbitro e VAR".

O mesmo número de câmaras em todos os estádios
"No âmbito da função de vídeo-árbitro, urge que se defina que e quantas câmaras são necessárias para a capaz avaliação de quem serve de retaguarda aos árbitros, garantindo também que os meios de análise são iguais em todos os estádios. Não é aceitável que o escrutínio seja maior, e logo mais capaz, nuns jogos do que noutros".

Linhas de fora de jogo e tecnologia de linha de baliza
"
As entidades responsáveis devem forçar a implementação das tecnologias das linhas de fora de jogo e das linhas de baliza. Tais avanços são essenciais para que se possa aferir, através do VAR, situações que são de enorme influência no desfecho de um jogo e que, através dos meios já existentes, podem ser esclarecidos de forma cabal".

Segurança nos estádios
"Necessidade de diligenciar junto das entidades competentes que a segurança dentro dos estádios, e considerando que o futebol é a principal indústria do País e uma bandeira da nação, seja garantida e assegurada pelo Estado, sem custos para os clubes, os quais continuarão a poder complementar esta missão com a presença de ARD (Assistentes de Recinto Desportivo)".

Criação de fanzones nos estádios
"Na sequência da revisão do regime de segurança nos recintos desportivos, atuar de forma a que seja possível a criação de fanzones, como centro de convívio dos adeptos".

Salvaguarda dos contratos de formação
"Reforço urgente dos contratos de formação, permitindo às entidades formadoras salvaguardar o trabalho desenvolvido ao nível dos escalões jovens e reforçando a abrangência dos contratos de formação, atualmente um fator de diferenciação negativa".

Media e espaço público, intervenção sobre a qualidade da discussão do futebol
"Criação de uma task force envolvendo todos os principais agentes da atividade futebol (Clubes, Liga Portugal, Federação Portuguesa de Futebol e Secretaria de Estado do Desporto) com o objetivo de restringir as intervenções públicas que lesam a honra dos vários agentes e contribuem para o descrédito do futebol nacional, estudando até a erradicação de dirigentes ou a proibição do exercício de funções de âmbito desportivo".

Promoção das competições e dos jogadores
"Discussão alargada, envolvendo também os media, com o objetivo de encontrar uma plataforma comum que permita desenvolver positivamente a imagem do futebol português, garantindo espaço mediático aos seus protagonistas e permitindo a projeção, nacional e internacional, das competições".