Marafona e SAD do Braga têm acordo para renovar

 foto Gonçalo Delgado/Global Imagens

A extensão do contrato até 2021 começou por ser discutida quando o Olympiacos ainda tentava o empréstimo e será ultimada em breve, estando o guarda-redes em fim de ligação.

Esta não será a última época de Marafona com o emblema do Braga ao peito. Apesar de estar em fim de contrato, o guarda-redes é imprescindível para o técnico Abel Ferreira e a sociedade desportiva tratará de renovar-lhe a ligação por dois anos (até 2021), como esteve para acontecer em agosto, na perspetiva de que o internacional português fosse emprestado ao Olympiacos por uma temporada, com opção de compra fixada em dois milhões de euros. A mudança para o colosso da Grécia seria, porém, abortada em cima do fecho do mercado de transferências de verão face à grave lesão sofrida por Matheus no joelho direito (rotura do ligamento cruzado anterior), que obrigará a uma paragem de cerca de seis meses.

A continuidade de Marafona no plantel bracarense foi, aliás, um pedido expresso de Abel Ferreira. Mesmo decidido a entregar a baliza a Tiago Sá, conforme se verificou em Chaves, o treinador entendeu que seria um risco prescindir da experiência e categoria do número 28 numa época em que os bracarenses apostam forte numa classificação história no campeonato e na conquista de uma das taças, pelo que descartaria estudar as sugestões que nessa altura chegariam à Pedreira para compensar o prolongado desaparecimento de Matheus, entre as quais Cláudio Ramos (Tondela) e Bruno Varela (Benfica). Marafona viu assim esfumar-se um bom contrato, com valores superiores aos que aufere no Braga, e a SAD levará em conta, por certo, semelhante perda, tudo apontando para que a formalização da renovação avance num prazo breve. Caso contrário, o guardião de 31 anos poderá comprometer-se em janeiro com outro clube e partir no fim da época sem qualquer compensação para os arsenalistas.