Abel Ferreira descartou Cláudio Ramos e Bruno Varela

.

 foto Filipe Amorim / Global Imagens

.

 foto Miguel Pereira/Global Imagens

Aposta em Tiago Sá fez o treinador do Braga torcer o nariz à chegada de uma nova opção.

A promoção de Tiago Sá a número um para a baliza do Braga, proporcionada pela grave lesão sofrida pelo brasileiro Matheus (rotura do ligamento cruzado anterior do joelho direito), estava projetada há muito por Abel Ferreira. O treinador aposta forte no jovem guarda-redes oriundo da formação do clube, desde os 10 anos, e torceu sempre o nariz à chegada de uma nova opção, apesar da disponibilidade da SAD para ir ao mercado e de ter sido confrontado com sugestões apetecíveis, entre as quais Cláudio Ramos (Tondela), novidade na convocatória da Seleção Nacional para os jogos com a Croácia e a Itália, e Bruno Varela (Benfica), agora na sombra de Vlachodimos, depois de ter somado 35 jogos pelos encarnados na época passada.

Na véspera da deslocação a Chaves, que ditaria a estreia de Tiago Sá em jogos do campeonato, e já em contagem decrescente para o encerramento das inscrições na Liga, vários nomes foram propostos, mas nenhum seria considerado por Abel, decidido, desde o primeiro minuto em que virou uma certeza o prolongado desaparecimento de Matheus (seis meses), a entregar a defesa das redes bracarenses a Tiago Sá, a reter Marafona no plantel e a manter a aposta em Tiago Pereira. O plano redundaria numa preciosa vitória, sem golos sofridos, e Tiago Sá, em declarações à comunicação do clube, daria conta da concretização de um "sonho" com "muitos anos". "Foi um momento muito especial", juntou.

Matheus, vítima de uma lesão muito semelhante à sofrida por Marafona em 2017, enfrenta um tempo de paragem a rondar os seis meses.