Abel entre murros na mesa: "Por favor ajudem-me a credibilizar o futebol"

Abel entre murros na mesa: "Por favor ajudem-me a credibilizar o futebol"

Abel Ferreira exaltou-se na conferência de imprensa e falou em injustiças no futebol em Portugal.

Jogo: "Individualmente o nosso adversário é melhor, mas coletivamente nós fomos melhores. Fizemos um golo limpo. Eu tive um treinador, que se chamava Paulo Bento, que dizia que o futebol não é andebol, não é basquetebol, é um jogo para homens, que é um jogo de contacto, é agressivo".

Injustiça: "Tenho pessoas da minha família que gastaram 50 euros para vir ver o jogo, 15 euros, que é o mais baratinho, gastaram gasolina, portagens, comida, para poderem vir aqui ver o jogo. E custa-me ver uma pessoa que está no sofá que trabalhou comigo a comentar e a influenciar a opinião de toda a gente. Custa-me ver esta injustiça. Quero que quando as pessoas olham para aqui [aponta para a garrafa de água] não vejam uns Coca-Cola e outros Sprite. Quero que todos vejam água. Falei com o Keizer e ele disse 'este é o vosso futebol', por isso temos de pensar naquilo que queremos".

Arbitragem: "Eu gostava é que o árbitro fosse ao balneário falar com os meus jogadores, que fosse lá dizer alguma coisa porque eu não sei o que lhes dizer. A injustiça a mim deixa-me revoltado. Eu fui três vezes expulso este ano. É vergonhosa a multa que me passaram. Devia ter sido muito mais. As duas primeiras vezes fui bem expulso, esta última foi injusta. O Sporting nos penáltis foi mais competente. Eu, se não ganhar, tenho de dar a vez a outro. É isso que temos de fazer. Por favor ajudem-me a credibilizar o futebol. Depois admiram-se que os treinadores e os jogadores queiram ir embora, para o estrangeiro".