"Fez uma grande dupla com Militão", dizem sobre reforço do Braga

"Fez uma grande dupla com Militão", dizem sobre reforço do Braga
Pedro Marques Costa

Tópicos

Atual selecionador olímpico brasileiro treinou o mais recente reforço arsenalista na equipa de sub-20 do São Paulo. André Jardine traçou, a O JOGO, o perfil de Vítor Tormena.

André Jardine, selecionador olímpico brasileiro e recém-coroado vencedor do Torneio de Toulon, conversou com O JOGO sobre o mais recente reforço do Braga.

"Vítor Tormena? Claro que me lembro bem dele. Fez parte de uma grande equipa de sub-20 do São Paulo, em 2016, que eu tive o prazer de treinar. Tínhamos jogadores no plantel como Éder Militão ou David Neres (Ajax), que estão atualmente na seleção principal do Brasil. Mas há mais: posso-vos confidenciar que nesta época vi muitos jogos do Tormena no Portimonense", afirmou.

A explicação para esta curiosidade tem um nome: Bruno Tabata. O avançado do clube algarvio está, tal como Wendel (Sporting), a representar a seleção brasileira precisamente no Torneio de Toulon. "Foi exatamente por isso que tive a oportunidade de ver a evolução do Tormena. Fiquei surpreendido pela qualidade que apresentou a jogar a lateral-direito, sobretudo na vertente ofensiva. Ele é defesa-central, mas evoluiu muito a jogar numa lateral", contou.

André Jardine voltou atrás no tempo para apresentar o mais recente reforço do Braga. "Ele fez o percurso na formação no São Paulo, onde realizou duas grandes épocas na equipa de sub-20. Era titular absoluto e, na segunda temporada, fez uma excelente dupla com Éder Militão. É verdade que o Militão tinha menos dois anos, começou a jogar nos sub-20 com 18 anos, e já na altura era um jogador diferenciado de todos os outros. Mas isso não diminui a qualidade do Tormena", afirmou.

A verdade é que, depois dessa época, o central acabou cedido, sem sucesso, ao Grêmio Novorizontino, antes de ter assinado, em 2017, pelo Gil Vicente, que o emprestou ao Portimonense na última época. "Fiquei muito feliz quando soube que ele assinou pelo Braga. Ele é jogador de equipa grande, mas a jogar no centro, não a lateral. É alto, bom no jogo aéreo, controla bem a profundidade e ainda tem saída de bola. Em 2016, faltava-lhe uma coisa: ganhar massa muscular. Mas, pelo que vi, está bem melhor agora. Tem tudo para chegar lá acima", rematou.