Carvalhal aborda AEK e explica Gaitán: "Começou a pré-época na segunda-feira"

Carvalhal aborda AEK e explica Gaitán: "Começou a pré-época na segunda-feira"
Pedro Rocha

Tópicos

Carlos Carvalhal, treinador do Braga, fez a antevisão ao encontro com o AEK, da primeira jornada da fase de grupos da Liga Europa.

AEK: "É um AEK forte, que, na Liga Europa, não perde desde 2011. Não sofreu golos nos últimos dez jogos, desde setembro de 2017. Isso ilustra bem as dificuldades que vamos ter. O treinador deles só teve metade do plantel para trabalhar nas últimas semanas por causa das seleções. Temos esses desafios pela frente: marcar-lhes golos e vencê-los. Estamos no bom caminho, praticando um futebol com pendor ofensivo. Estamos muito motivados para este jogo. Sei muita coisa do AEK porque já trabalhei na Grécia".

O favoritismo pode ser uma armadilha para o Braga? "Temos um adversário que está num patamar diferente e três equipas que se equivalem. O próprio Zorya é uma das equipas mais difíceis do grupo, é muito forte do ponto de vista coletivo. O foco para já é o jogo com o AEK, quebrando alguns borregos. Temos pela frente uma equipa consistente e forte nas bolas paradas, a praticar um futebol de contra-ataque, dentro do estilo italiano".

O Braga liberta-se na Europa: "Não penso muito, em circunstância alguma, na questão das grandezas. Como treinador, concentro-me no adversário, seja ele qual for. O que me interessa é desencaixar o adversário em termos de dinâmica. Terminámos o jogo com o Nacional e o nosso foco foi todo para o jogo com o AEK. Será sempre assim. As outras questões relacionadas com o estatuto do clube só interessam do ponto de vista jornalístico, não me interessam a mim. No fim faremos contas".

Equipa com rotinas na Europa: "Isso diz respeito à experiência, as dinâmicas é que são diferentes. Quando não estamos habituados a isto, há sempre ansiedade, mas os jogadores já têm, de facto, alguma experiência internacional e foram bem sucedidos. É claro que isso ajuda sempre".

Leicester: "O facto de colocar o Leicester num patamar diferente não lhe dá a qualificação para a fase seguinte. Temos jogos de enorme responsabilidade pela frente e claro que é importante entrar bem numa fase de grupos, ganhando a primeira partida. Estamos apostados nisso".

Gaitán: "Começou a trabalhar nesta semana com a equipa e temos 24 vagas para a convocatória. Poderá entrar numa lista de 23 (não serão 24), o que não significa que esteja em perfeitas condições. A pré-época dele começou na segunda-feira".

Mudanças no Braga: "Nunca modificámos a nossa dinâmica. A identidade é a mesma, o nosso sistema é que tem evoluído. Não estabilizámos. Hoje fazemos coisas que não fazíamos há um mês. Temos uma identidade e depois criamos variações, pelo que não vamos mudar nada. Não haverá uma mudança de sistema. Essa questão também me era colocada na época passada, quando estava no Rio Ave. A dinâmica é que poderá ser alterada em função do adversário no sentido de desencaixá-lo".