Carvalhal: "Sporar? Feriu o regulamento interno e o clube agiu em conformidade"

Carvalhal: "Sporar? Feriu o regulamento interno e o clube agiu em conformidade"

Declarações de Carlos Carvalhal, treinador do Braga, na antevisão ao jogo com o Paços de Ferreira.

Abordagem para o jogo com o Paços de Ferreira: "Mais um jogo difícil contra uma equipa boa e bem orientada. O Braga vai entrar para vencê-lo, não estamos satisfeitos com os resultados dos últimos jogos e queremos voltar às vitórias. Com todo o respeito pelo Paços, vamos lutar do primeiro ao último segundo pelos três pontos".

Caso Sporar: "Houve uma situação que feriu o regulamento interno e o clube agiu em conformidade. A situação ficou resolvida, não faço mais comentários sobre isso".

António Salvador apontou ao terceiro lugar no anúncio da recandidatura à presidência: "Prefiro responder a essa questão no fim da época. Já estivemos envolvidos em quatro competições, agora estamos em duas. Falar a meio do caminho é falar a meio do caminho. No final veremos o que poderemos atingir, nesta altura estamos entre um nível bom e um nível excelente".

A falta de golos contra o Sporting: "Recentemente ouvi que o Braga é a equipa que tem mais golos distribuídos pelos jogadores. Por um lado, é bom; por outro, o normal seria que dois jogadores tivessem cada um pelo menos 12 golos marcados. A responsabilidade é minha, eu é que tenho de encontrar soluções. A equipa tem tido uma dinâmica boa, a chegar bastantes vezes a zonas de finalização, e agora temos que arranjar soluções e alternativas para se fazerem golos. Os avançados têm responsabilidade, assim como os médios e os outros jogadores, mas é verdade que quatro ou cinco jogadores não estiveram no seu melhor. É normal que isso aconteça porque entre janeiro e fevereiro foram sujeitos a uma sobrecarga de jogos. Não são máquinas e, naturalmente, não estiveram ao seu nível, mas podem superar isso rapidamente. As coisas podem mudar num segundo, bastando para isso muitas vezes uma conversa."

Derrota em Paços de Ferreira na primeira volta e o objetivo de superar os 60 pontos da época anterior: "Entramos em todos os jogos para vencer, mesmo contra aquelas equipas que são teoricamente mais fortes do que nós. Tivemos uma atitude competitiva forte em todos os jogos, mesmo nos menos conseguidos. Tivemos sempre pelo menos cinco oportunidades para fazer golos. Essa é a marca do Braga. Sabemos que não podemos ganhar todos os jogos, mas tentamos sempre e este jogo com o Paços não foge à regra. Na primeira volta, não dava para jogar em metade do campo porque estava gelado. Estava assim para nós e para os jogadores do Paços de Ferreira. Amanhã o jogo terá uma história diferente."

Jogadores sem ambição? "Sinto muita ambição na equipa e tenho visto treinos muito intensos. Ainda temos uma final da Taça de Portugal para disputar e isso ajuda os jogadores a estarem focados. Todos querem jogar essa final. Em três competições internas, chegámos ao topo e tivemos uma prestação muito boa na Liga Europa, com a equipa a praticar um futebol muito atrativo e muito ofensivo. E qual a equipa que não tem um momento menos bom? Na classificação, o Sporting está bem lançado e, se perguntarem aos outros treinadores, todos aspiravam a estar melhor."