Carlos Carvalhal e o mercado de transferências: "Recebi três prendas..."

Carlos Carvalhal e o mercado de transferências: "Recebi três prendas..."
Tomaz Andrade

Tópicos

Treinador do Braga ficou muito satisfeito com as operações do clube nos últimos dias do mercado e referiu que a equipa tem à sua espera um futuro risonho

Análise ao plantel após o fecho do mercado: "Antes de mais, quero dar os parabéns ao Paulo Menezes, responsável pelo departamento de scouting, porque fez um trabalho espetacular, tanto em termo de entradas como de saídas. Isto salvaguardando a posição de António Salvador, que está, naturalmente, acima. Estas três entradas, Yan Couto, Diogo Leite e Chiquinho, acrescentaram qualidade ao plantel. Tinha dito que aceitaria ter qualquer plantel à disposição e nos últimos dias acabei por ter três prendas. Claro que mais satisfeito fiquei com este 'upgrade'. Além disso, recordo que neste plantel trabalham jogadores como Hornicek, Fabiano, Bruno Rodrigues, Buta, Gorby, Roger, Vitor Oliveira e Moura, mais ainda Rodrigo Gomes e Guilherme Soares, ou seja, é quase uma equipa inteira da formação. Temos um plantel equilibrado, com dois jogadores por posição. Não o comparo ao da época passada, porque será preciso esperar pelos resultados., mas é um plantel com ambição, determinação e que tem jogadores com vontade de triunfarem no futebol e outros com vontade de se reinventarem. É um desafio que temos em mãos. Digo também que às vezes não é fácil enquadrar jogadores com grande recorte técnico num plantel, sendo necessário haver um equilíbrio entre a capacidade técnica e a de trabalho. Queremos ser tão competitivos como na época passada. A equipa tem capacidade de progressão e a máquina vai sendo oleada. Recordo, por exemplo, que Al Musrati teve dificuldades no início da época passada e agora é o jogador que é. O mesmo posso dizer do Lucas Mineiro, que sentiu dificuldades com o ritmo, o andamento e o trabalho da equipa e agora, como se viu com o Villarreal, já mostrou o que vale. Concluindo, acho que o futuro do plantel é risonho, sendo que o jogo seguinte é sempre o mais importante."

Papel de Fábio Martins: "É um processo semelhante ao de Iuri Medeiros na época passada. O Iuri tem um grande jogo interior, faz trabalho defensivo e é fortísssimo a reagir à perda de bola; teve uma progressão enorme. Quando um atleta só joga quando tem a bola, é como se fosse metade de um jogador, é preciso trabalhar sem bola. Esse foi o desafio lançado ao Iuri Medeiros e, agora, também ao Fábio Martins. São dois jogadores com grande capacidade técnica."

Atraso na recuperação de David Carmo: "Sempre disse que não devemos saltar etapas, nem apressar situações de recuperação. Temos um excelente departamento médico e a análise que fizeram é que o David Carmo precisa de mais tempo para voltar a cem por cento. Daí a vinda de Diogo Leite."