Braga critica arbitragem do jogo com a Roma e pede "reflexão" sobre transmissões

Braga critica arbitragem do jogo com a Roma e pede "reflexão" sobre transmissões
Redação

Tópicos

Clube arsenalista criticou a atuação do árbitro romeno Istvan Kovács na primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa.

A dois dias do duelo decisivo com a Roma, referente à segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, o Braga "voltou" ao jogo da primeira mão, que perdeu por 2-0, para fazer eco das palavras de Carlos Carvalhal e lançar críticas à arbitragem do encontro.

"Frente à Roma, resistimos estoicamente a uma arbitragem extremamente penalizadora e que colocou em causa as nossas ambições nesta competição. O primeiro amarelo mostrado a Ricardo Esgaio - e que contribui para a sua expulsão na segunda parte - é para lá de absurdo; o penálti não assinalado por abalroamento a Sporar dentro da área é tão evidente que pode até ser considerado um atentado à verdade desportiva", refere o emblema minhoto na newsletter desta terça-feira, lançando ainda nova alfinteada à arbitragem em Portugal:

"Mas, atenção que estes 'acontecimentos estranhos' não acontecem apenas nos encontros europeus. Basta olharmos para o nosso campeonato e encontramos, todas as jornadas, inclusivamente nesta, inquietantes exemplos de uma dualidade de critérios gritante e por demais incompreensível", acrescentam os arsenalistas. "Que não haja a mínima dúvida: o Braga viu-se impedido, por razões do foro disciplinar, de viajar para Itália com a eliminatória completamente em aberto. Ainda assim, e apesar das dificuldades que sabemos que nos esperam, continuamos a acreditar. Porque um verdadeiro Gverreiro nunca desiste. Nunca", prossegue o Braga, que visa ainda a questão da transmissão de jogos europeus em canal aberto, apelando a uma "profunda reflexão".

"Fora das quatro linhas (...) continuamos a assistir a fenómenos pouco condizentes com o profissionalismo e a qualidade que as equipas do nosso campeonato mereciam ter. O que distingue o percurso europeu do FC Porto, do Benfica e do Braga? Um simples detalhe: o facto de os dois primeiros, um em sete e o outro em oito oportunidades, terem visto os seus jogos serem transmitidos em canal aberto... sempre! Ao mesmo tempo, a nossa equipa valeu-se da Sport TV e dos bons profissionais que fazem parte daquela casa. Não sendo novo nem algo verificado apenas esta época, o tema merece uma profunda reflexão. Porque, por muito que se diga que as audiências é que definem critérios de transmissão (e até esta é uma questão demonstrativa de uma pequenez atroz), não é eticamente aceitável nem desportivamente justo que apenas três equipas recebam toda a atenção mediática, enquanto as restantes são olhadas como meros figurantes", remata o Braga.