Braga apresenta seis propostas de calendário à Liga: saiba quais

Braga apresenta seis propostas de calendário à Liga: saiba quais
Pedro Rocha

Tópicos

Clube arsenalista pretende também que a Liga acautele a situação contratual dos jogadores, caso o campeonato se prolongue para lá de 30 de junho.

O Braga apresentou à Liga seis propostas de calendário com vista ao reatamento e conclusão do campeonato.

Depois da decisão da UEFA de adiar o Europeu para 2021, de forma a permitir a disputa dos campeonatos durante o mês de junho, o Braga avançou com as referidas propostas, elaboradas ao longo da última semana, apurou O JOGO.

O clube arsenalista presidido por António Salvador considera que será impossível a existência de consenso em relação à eventual homologação da atual classificação da I Liga e prevê, na primeira proposta, que a competição seja retomada na primeira semana de maio. Nas restantes propostas, o Braga planifica o reatamento do campeonato numa das seguinte datas: nos fins de semana de 10, 17, 24, 31 de maio ou no de 7 de junho.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

A ideia lançada pelos minhotos prevê que sejam condensadas duas jornadas por semana: uma a disputar no fim de semana e outra a meio. Antes do arranque, o Braga pretende que seja respeitado o período de duas semanas de preparação, já com as equipas a treinarem em pleno. No final das primeiras cinco jornadas após a retoma da I Liga, seria dada uma pausa.

As duas propostas mais tardias preveem que sejam realizados jogos durante o mês de julho, pelo que o Braga pretende que a Liga acautele a situação contratual dos jogadores, uma vez que parte dos vínculos expira a 30 de junho. A proposta poderá ser discutida já nesta quinta-feira, em reunião de clubes da I Liga via videoconferência. O clube liderado por António Salvador não quer que a decisão fique em suspenso durante um período alargado, de forma a evitar que o arranque da temporada 2020/21 seja comprometido.

O Braga espera ainda que a Liga envolva o Sindicato de Jogadores e o seu presidente Joaquim Evangelista durante o debate dessas propostas, de modo a que se tornem viáveis os calendários do campeonato com finais previstos para julho.