Carvalhal após o Santa Clara-Braga: "Não me adianta nada estar aos gritos"

Carlos Carvalhal, treinador do Braga

 foto LUSA

Declarações de Carlos Carvalhal, treinador do Braga, após o empate com o Santa Clara (1-1), este domingo, em São Miguel, em jogo a contar pela 7.ª jornada da Liga Bwin.

Golo sofrido no fim do jogo: "Sim, já aconteceu o contrário também. Conseguimos vitórias nos descontos, faz parte do jogo também. Só acaba quando o árbitro apita. Na primeira parte, o Santa Clara defendeu-se atrás, muito perto da grande área e nós fomos tomando conta do jogo. Não logo no início, mas depois começámos a tomar conta do jogo, a empurrar o Santa Clara para trás, com uma ou outra oportunidade, o Santa Clara também, e acabou por ser uma primeira parte sem sabermos encontrar um antídoto para a defesa baixa do Santa Clara".

Segunda parte: "No segundo [tempo], tivemos a hipótese de retificar. Retificámos alguns posicionamentos, nomeadamente no espaço entre linhas, e acho que a equipa deu uma excelente resposta na segunda parte. Fomos para o jogo com o intuito de vencer. Conseguimos fazer o golo, tivemos mais uma ou duas claras situações de golo, situações de contra-ataques que não conseguimos aproveitar e poderíamos ter sido mais eficazes. Depois, na parte final, acho que a equipa, não é por indicação nossa, é instintivo, começou a defender mais atrás, a recuar em demasia, deixou de pressionar à frente e o Santa Clara esteve mais perto da baliza e acabou por ter a felicidade de fazer o golo a dois minutos do fim".

Queria mais: "Eu creio que fizemos muito para ganhar o jogo, mas também tenho que dar o mérito a forma como o Santa Clara reagiu na parte final. Deveríamos ter ganho os três pontos, acho que se ajustava se tivéssemos ganho, mas reconheço que as equipas jogam, trabalham, lutam muito, este campeonato está complicado para conseguir pontos. As equipas são extremamente competitivas, muitas equipas a tirar pontos uma das outras".

Ajustes: "No ano passado, tivemos uma outra situação e depois treinámos e retificamos isso. Eu creio que foi a primeira vez que isso aconteceu [recuar demais]. Vamos ter que trabalhar sobre esse aspeto, evidentemente não me adianta nada estar aos gritos. É instintivo, o jogador vê o tempo a passar e começa a recuar, a recuar, a recuar... Mas temos que ficar mais com a bola, pressionar mais à frente e ter outro tipo de comportamento nessas situações. Vamos ter que trabalhar nelas para que a equipa numa situação idêntica consiga controlar estes momentos".

Observação positiva: "É importante também, penso que hoje a equipa fez um jogo muito competitivo. O campo estava muito pesado, o Santa Clara juntou muitas linhas, defendeu-se muito atrás, e fundamentalmente a nossa equipa na segunda parte teve um bom processo no sentido de conseguir desmontar a estrutura defensiva muito fechada do Santa Clara. Esse jogo passou e agora estamos focados na quinta-feira em um jogo muito importante na liga Europa, um jogo muito difícil. Contamos com nossos adeptos.