Alef bate recorde do Braga

O Braga aceitou subir a fasquia para muito perto de um milhão para assegurar a promessa brasileira

O enorme potencial futebolístico de Alef fez com que a SAD do Braga abrisse, pela segunda vez, uma exceção na regra de não investir mais do que 500 mil euros na contratação de um jogador. Salvo quando tem o apoio de fundos de investimento, como se verificou nos casos de Matheus, Wallace e Danilo, a sociedade desportiva faz por evitar certos luxos, mas não fecha os olhos a oportunidades de negócio razoáveis, quando as perspetivas de retorno financeiro são grandes. Em 2013, investiu 600 mil euros na compra de 75 por cento do passe do colombiano Pardo; desta vez, vai desembolsar 800 mil euros por metade dos direitos económicos do internacional brasileiro sub-20. O acordo com o Ponte Preta é total, tudo apontando para que a transferência seja oficialmente anunciada nos próximos dias, depois de o jogador já ter realizado exames médicos em Braga há mais de uma semana.

É um recorde digno de registo, mas não implicará um grande esforço financeiro para o Braga, tendo em conta os encaixes proporcionados pelas vendas de Rúben Micael para os chineses do Shijiazhuang Yongchang (dois milhões de euros) e de Éder para os galeses do Swansea (sete milhões). Nesta altura, os minhotos têm, aliás, a noção de que asseguraram Alef a um preço bastante acessível. O negócio já estava alinhavado antes do começo do Mundial de sub-20, cuja final foi disputada pelo Brasil e Sérvia, e essa vantagem acabou por ser preciosa para a SAD presidida por António Salvador, a partir do momento em que o Benfica tentou desviar o jovem médio, já em finais de junho.

Influenciado por Danilo, companheiro nos sub-20 da Canarinha, Alef percebeu que teria mais hipóteses de jogar com regularidade na equipa arsenalista, algo que não conseguiu em França, e acabou por aceitar assinar um contrato válido por quatro épocas. A inscrição dará entrada na Liga nos próximos dias, depois de o Ponte Preta ter feito questão de respeitar, até ao fim, a opção de compra do passe por parte do Marselha, válida até à passada terça-feira.