Abel: "Quero é que chegue rapidamente o fim do mês"

Abel: "Quero é que chegue rapidamente o fim do mês"
Pedro Rocha

Tópicos

Abel Ferreira, treinador do Braga, fez a antevisão ao jogo com o Aves.

Braga constante: "Queremos sempre um Braga a jogar para ganhar, constante e a jogar no sentido da baliza do adversário, embora sabendo que do outro lado há sempre bons jogadores e recursos. Todos juntos teremos de resolver os nossos problemas. Foi isso que aconteceu em Portimão. Entrámos muito fortes, dinâmicos e a criar espaços através da nossa circulação de bola. E é isso que vamos tentar fazer amanhã. Não sabemos o que nos espera, mas a nossa forma de jogar assenta na nossa identidade, com ou sem bola, estando preparados para o adversário (Aves) nos pressionar alto, de forma intermédia ou nas transições. Vamos controlar as transições do nosso adversário, sendo organizados em termos ofensivos e a finalizarmos as nossas jogadas. Temos que ter a capacidade de finalizar as nossas jogadas, atacando com calma à procura de espaços. O Aves tem bons executantes e um treinador que conhece bem a I Liga, Vão jogar motivados, mas todos os adversários são assim contra o Braga e o que nós queremos é somar mais três pontos".

José Mota: "É um grande treinador, que organiza muito bem as suas equipas com agressividade, com e sem bola. Poderão haver mudanças na forma de pressionar, na estrutura tática e até nas bolas paradas. A nossa identidade assenta nos nossos processos. Pelo menos oitenta por cento do nosso jogo depende disso, e vinte do que os outros fazem".

Identidade: "Acredito que o Aves possa jogar em contenção, com saídas rápidas, é um dos planos possíveis. Mas também estamos preparados para outros dispositivos. Temos é que continuar fiéis à nossa identidade, procurando espaços por dentro e por fora em busca dos golos. Se nos fecharem o jogo entrelinhas, vamos explorar os corredores".

Aves é uma desilusão? "É uma equipa recheada de bons jogadores, experientes, como o Paulo Machado, entre outros. Temos que estar preparados para isso. Eliminaram o Rio Ave da Taça de Portugal e isso dá motivação. E um novo treinador gera sempre um grande impacto emocional. Serão agressivos com e sem bola. Não vamos jogar sozinhos. Dentro da nossa capacidade, vamos desatar os nós que o adversário nos vai criar, sabendo também sofrer. Foi assim contra o Portimonense".

FC Porto: "O importante é o próximo jogo. Sempre foi assim. Há que dotar a equipa de recursos, queremos entrar na máxima força, à procura dos três pontos, do primeiro ao último minuto. É essa a nossa responsabilifade. Aconteça o que acontecer, temos que estar focados nas nossas tarefas individuais e coletivas. É essa confiança que temos levar para os jogos.

Vitórias suadas: "Não é por acaso que temos treinadores e jogadores muito valorizados. O futebol português é muito bem visto em todos os cantos do mundo. Com menos recursos, os treinadores em Portugal conseguem competir com equipas mais fortes, dotadas de jogadores de nível superior. Não é por uma equipa estar mal classificada que não deixa de ter bons recursos. A competitividade é muito forte no nosso campeonato, daí as nossas dificuldades. Há que realçar a capacidade que os treinadores do campeonato português têm em montar equipas competitivas. E o Portimonense já criou dificuldades a várias equipas".

Novo treinador da equipa B (Wender): "Estou num clube competente que sabe o que quer. Há que acreditar nas ideias do clube. E o futebol tem muito a ver com as dinâmicas e os resultados. Há que esperar que as coisas corram de forma natural, e também com um bocadinho de sorte. Vi alguns jogos da equipa B e não se podem criar tantas oportunidades para não marcar. Os bês servem ainda para potenciar jogadores para equipa principal, como o Tiago Sá e o Xadas".

Substituto de Vukcevic (castigado): "É o André Horta que vai jogar no lugar dele".

Mercado: "Quero é que chegue rapidamente o final do mês e tudo se mantenha como está. Estou satisfeito com este grupo. Fico muito satisfeito se o plantel não receber mais jogadores. Têm sido verdadeiros guerreiros, todos jogam com grande vontade e orgulho. E sempre a lutarem por uma vaga na equipa. Quanto mais competitivos formos internamente, melhor preparados estaremos para os nossos objetivos".