Vítor Murta fala do mercado, do investidor e da UEFA: "Se não for no primeiro ano..."

Vítor Murta fala do mercado, do investidor e da UEFA: "Se não for no primeiro ano..."
Ana Luísa Magalhães

Tópicos

O presidente do Boavista inaugurou a loja do clube no dia do 117.º aniversário da instituição

Vítor Murta, presidente do Boavista, inaugurou a loja do clube, no dia em que se assinala o 117.º do emblema axadrezado. À margem do evento, o dirigente falou aos jornalistas sobre o investimento do empresário Gerard López, do novo treinador, Vasco Seabra, e das expectativas para a próxima época.

Entrada do investidor: "Sempre fomos o Boavistão, estamos é um bocadinho adormecidos. A época passada ficou um bocadinho aquém do que esperávamos, mas achamos que a próxima vai ser melhor. Estamos a trabalhar nesse sentido, com um grupo de investidores que estão connosco a preparar a equipa para termos sucessos desportivos iguais aos sucessos financeiros que temos tido nos últimos anos. Financeiramente temos, de uma forma sustentada, cumprido as nossas obrigações e crescendo."

Vasco Seabra: "Conhecemos a forma de pensar do Vasco Seabra, a forma estruturada como encara o futebol. É um jovem com ambição, vontade querer, e achamos que está feito o casamento ideal para que nós possamos ajudar o Vasco a crescer e que o Vasco nos possa ajudar também a nós."

Mercado de transferências: "Alguns nomes têm vindo a público. Uns correspondem À verdade e outros não tanto. Mas vamos começar a trazer algumas novidades. Só que é preciso calma e tranquilidade. Vai ser feito um bom plantel."

Yanis Hamache: "Já chegamos a um entendimento com o Nice, estamos a discutir pormenores com o jogador, mas vamos, com toda a certeza, chegar a um entendimento com ele. É um atleta que será o futuro do Boavista, um jovem atleta com capacidade para, no futuro, nos poder render não só a termos desportivos mas também a nível económico."

Objetivos para 2020/21: "Os nossos objetivos não serão os mesmos se tivermos um investidor que consiga fazer um 'input' positivo em termos de capacidade económica, para que possamos ir ao mercado recrutar melhores jogadores. Não lhe posso dizer que com o investidor vamos à Europa no primeiro ano, mas acredito que, se não formos, estaremos lá muito perto. E se não formos no primeiro, no segundo lá estaremos. Tudo isto tem de ser encarado com tranquilidade. Não podemos pensar que é por estar cá o investidor que isto vai ser o país das maravilhas. Tem de ser um crescimento sustentado, o Boavista não pode durar dois ou três anos, tem que ter uma estrutura que nos permita a eternidade."