"Se não tivéssemos o Gérard Lopez como investidor da Boavista SAD seria difícil termos a porta aberta"

"Se não tivéssemos o Gérard Lopez como investidor da Boavista SAD seria difícil termos a porta aberta"
Manuel Casaca

Tópicos

Vítor Murta foi esta sexta-feira eleito por mais três anos como presidente do Boavista. Candidato único às eleições que decorreram no Estádio do Bessa, o líder axadrezado projetou o próximo mandato, sem deixar de analisar os últimos três anos de presidência do clube.

Dívidas: "Ao contrário do que aconteceu no passado, não podemos dar um passo maior do que as pernas. Hoje em dia estamos a pagar essa fatura. Quando cheguei tínhamos uma dívida à Somague de 55 milhões de euros e um pedido de insolvência. Conseguimos renegociar a dívida para 19 milhões de euros e, no meu mandato, já pagámos um milhão de euros. Temos ainda os nossos funcionários com os salários em dia e temos uma série de obrigações que estamos a cumprir. Se não tivéssemos o Gérard Lopez como investidor da Boavista SAD seria muito difícil termos a porta aberta, porque estaríamos a pagar dois orçamentos. Um deles de um passado em que as decisões não foram as mais acertadas, mas também não vale a pena chorar sobre o leite derramado, há que encontrar soluções. Neste momento o Boavista ainda não encontrou soluções que lhe permitam ter mais 100 anos de existência. Temos de consolidar esta relação com o Gérard Lopez. Não temos receitas no clube e na SAD para sermos auto sustentáveis e a entrada do Gérard Lopez foi a solução para esse nosso problema"

Sobre o investidor Gérard Lopez: "Há uma relação de muita proximidade entre mim e o Gérard Lopez. O cuidado que ele teve de nos ajudar apareceu antes de ele ser acionista do Boavista. A garantia que lhe íamos devolver o dinheiro ou cumprir com as obrigações era de minutas. Não tenho dúvida que ele gosta do Boavista e quer que seja um grande clube, mas também é necessário que tenha aqui as pessoas da confiança dele. No entanto, também não vamos pensar que, se o Vítor Murta não existisse, o Gérard Lopez deixaria de estar preocupado com o Boavista. Não sou peça única ou peça rara, mas é mais fácil estando eu aqui dentro, porque já conheço os problemas. As pessoas não têm de gostar de mim como pessoa ou como presidente, têm é de gostar do Boavista. Se estivermos unidos, como temos estado, vamos ter muito sucesso"

Projetos até 2024: "Já começaram os trabalhos do campo sintético para a nossa formação, que devem ser concluídos nos próximo tempos, e temos o sonho de ter um pavilhão, como já tivemos, e que era o melhor pavilhão do país. Temos pensado e projetado um espaço para o pavilhão, que seria junto ao nosso campo de treinos relvado. Não me parece que se seja possível nos próximos tempos, mas gostava de terminar este meu ciclo no Boavista com o lançamento da primeira pedra do pavilhão. É importante que os adeptos e os sócios do Boavista se concentrem no nosso estádio, como acontecia antigamente. Precisamos de trazer os jovens de volta ao Bessa, para começarem a ter amor pelo Boavista, e isso também faz-se desde pequenino".