"Com o Lito mais cedo, estaríamos na Liga Europa a fazer melhor figura do que muitos"

"Com o Lito mais cedo, estaríamos na Liga Europa a fazer melhor figura do que muitos"
Manuel Casaca

Tópicos

Vítor Murta, presidente do Boavista, garante que o clube está no "bom caminho", o da "recuperação" económica. Recuperar a tradição europeia faz parte dos projetos para o futuro e conta com Lito Vidigal nesse caminho.

Desde que está no Boavista, Vítor Murta nunca encontrou um "treinador sensível à necessidade de potenciar jovens" como o atual. Por ele Lito Vidigal renova contrato e nem está preocupado em colocá-lo no papel, porque "vale mais a palavra". O presidente axadrezado tem falado com o treinador sobre o futuro e acredita que, juntos, poderão devolver o emblema às provas da UEFA, afirmou, esta quinta-feira, num encontro com os jornalistas. Tem mesmo a convicção de que, se Lito Vidigal tivesse chegado mais cedo ao Bessa, na época passada, essa meta já teria sido atingida.

Renovação de Lito Vidigal: "O Lito Vidigal estará no Boavista enquanto quiser e enquanto a a direção e a administração da SAD quiserem. É nossa intenção que esteja cá muitos anos. Temos falado diversas vezes e temos projetado um Boavista já para a época seguinte. Não temos um documento assinado, mas entre dois homens vale mais a palavra. O segredo para o sucesso é a estabilidade e não podemos estar a viver com treinadores que chegam a meio da época e saem a meio da época seguinte. Na época passada, o Lito, juntamente com esta massa adepta fantástica, conseguiu pontos suficientes para ir à Liga Europa. Ou seja, se ele tivesse chegado no início da época, nesta altura estaríamos na Liga Europa e certamente estaríamos a fazer melhor figura do que muitos que lá estão. Não tenho dúvidas nenhumas."

Aposta na formação: "Na época passada, tivemos a capacidade de bater recordes de transferência. Fomos buscar o Gonçalo Cardoso a custo zero, saiu e foi a maior venda do Boavista. Só foi possível pela conjugação de esforços da direção do clube, da Administração e da equipa técnica. Porque se o jogador não jogasse não seria transferido. É esta sensibilidade que temos encontrado nesta equipa técnica. Desde que cá estou, seja como presidente, presidente adjunto ou como diretor, e temos tido grandes treinadores, como o Jorge Simão, mas nunca tivemos um treinador sensível à necessidade de potenciar jovens. Só dessa forma conseguimos mais receitas. Neste momento temos quatro miúdos da formação [João Gonçalves, Breno, Luís Santos e Samu] que estão na equipa principal. No início da época perguntei ao Lito se era para emprestar esses jogadores e ele disse que nem pensar, que era para crescer connosco porque um dia vão valer dinheiro."

Abertura ao exterior: "É importante abrirmos o clube aos sócios, aos adeptos e à cidade. Cada vez mais o futebol tem sido um espetáculo de televisão, mas se há algo que o futebol nos traz é a possibilidade de sermos todos iguais quando estamos a ver um jogo. Não há ricos, nem há os pobres no estádio. E o que queremos proporcionar é que aquelas pessoas que têm menos possibilidade possam vir ao estádio, até porque este é o estádio mais bonito e melhor para ver futebol. E digo mais, não há espetáculo melhor no mundo do que vir o Boavista a jogar. Temos um estádio com capacidade para 30 mil lugares sentados. Tínhamos uma média de assistência de quatro/cinco mil espectadores, agora temos médias de 16/17 mil. Portanto, chamo todos aqueles que gostem de futebol que venham ao Estádio do Bessa."

Problemas financeiros: "Não conheço nenhum clube português que não tenha problemas financeiros. O Boavista tem problemas financeiros, mas está no bom caminho, está no caminho da recuperação. Não há soluções instantâneas. A não ser que aparecesse aqui um bilionário que resolvesse os problemas. Os parceiros do Boavista são os adeptos e os sócios, porque esse é que estão cá em todos os jogos. Nunca vi cá um bilionário a dizer o que quer que fosse, mas mesmo que isso acontecesse, ia pôr sempre à consideração dos sócios e dos adeptos, porque o Boavista não é de uma pessoa, é dos boavisteiros. Não gostava que isto fosse entregue a alguém que não tem a alma boavisteira"