Lito Vidigal diante um novo Sporting: "Não sabemos bem o que vamos encontrar"

Lito Vidigal diante um novo Sporting: "Não sabemos bem o que vamos encontrar"

O Boavista recebe o Sporting num encontro da quinta jornada marcado para domingo, às 20h00, no Estádio do Bessa

O treinador do Boavista disse desconhecer que Sporting vai ter pela frente no domingo, para a quinta ronda da I Liga, mas acredita que pode vencer o jogo "se os jogadores trabalharem muito".

Marcel Keizer foi substituído por Leonel Pontes no comando técnico 'leonino', na sequência da derrota caseira com o Rio Ave, na jornada anterior, e isso "tornou mais difícil" a preparação para esta partida, afirmou Lito Vidigal.

"Não sabemos o que vamos encontrar", observou o técnico 'axadrezado', referindo que o Sporting de Keizer "já tinha um padrão de jogo, ideias definidas".

O facto de se tratar de um Sporting desconhecido, explicou, obriga a estar "mais prevenido ainda" e preparado também para qualquer eventualidade.

Lito Vidigal encontrou-se com a comunicação social para fazer a antevisão desse jogo e começou por dizer que o Sporting é "uma equipa forte, que todos os anos aspira a ser campeã".

"Vai tendo mais dificuldades do que os concorrentes diretos, mas é sempre uma equipa recheada de bons jogadores, que temos de defrontar agora, acreditando que podemos vencer. É assim que pensamos e é isso que queremos para este jogo também", completou.

Apesar de ser um Sporting desconhecido aquele que vai ao Estádio do Bessa, no domingo, Lito Vidigal adiantou que o mais importante é a "ideia de jogo" que o Boavista tem, razão pela qual essa é a sua primeira preocupação.

"Não jogamos sozinhos e temos de estar atentos a alguns momentos e aspetos em que o adversário é mais forte, mas a nossa primeira intenção não é anular o adversário, é saber o que queremos em campo e, depois, a partir daí, pensar no adversário. Nunca vamos jogar só em função do adversário, até porque isso seria errado", argumentou.

O Boavista vem de uma vitória em casa do Belenenses, por 1-0 e nesse jogo utilizou três defesas centrais (Lucas Tagliapietra, Ricardo Costa e Neris), uma opção que Lito Vidigal deixou em aberto para o embate com os "leões", afirmando que "tudo pode acontecer".

"Temos é de estar preparados para tudo e porque não sabemos bem o que vamos encontrar é que trabalhámos muitos aspetos que pensamos que podemos utilizar neste jogo. Independentemente do adversário, temos de pensar primeiro em nós e que podemos vencer", acrescentou.

Lito Vidigal quer "uma equipa forte, competitiva e com personalidade e caráter", acreditando que dessa forma o Boavista terá "mais possibilidades de vencer".

Os atacantes Mateus e Yusupha estiveram ao serviço das seleções nacionais dos seus países, Angola a Gâmbia, respetivamente, e estão disponíveis, disse ainda o técnico boavisteiro, sem dar mais informações sobre o estado físico de outros jogadores.

"Não vale a pena falar nisso. Temos algumas indefinições, que ainda vamos avaliar. O jogo é só amanhã [domingo] à noite e ainda há a possibilidade de poderem ser todos utilizados", disse, para, mais adiante, apelar a que estejam "mais boavisteiros do que sportinguistas" no estádio.

O Boavista, quarto classificado, com oito pontos, recebe o Sporting, sexto, com sete, num encontro da quinta jornada da I Liga Portuguesa de portuguesa marcado para domingo, às 20h00, no Estádio do Bessa, no Porto.