"Mal seria se colocasse de lado fosse quem fosse só porque pode sair"

"Mal seria se colocasse de lado fosse quem fosse só porque pode sair"
Redação com Lusa

Tópicos

Treinador do Boavista como que pediu cautela para o embate que encerra a terceira jornada da Liga Bwin. Aquisições de Illori e Vukotic enriquecem, ataque deverá ser reforçado e gestão não depende do mercado

O treinador João Pedro Sousa desejou, este sábado, um Boavista precavido na receção ao Santa Clara, na segunda-feira, na conclusão da terceira jornada da Liga Bwin, após o triunfo folgado sobre o também "europeu" Paços de Ferreira.

"O nosso grande desafio será tentar perceber como iremos gerir o último resultado. Isso é muito importante para nós, porque já tivemos, ano passado, uma pequena desatenção a este nível de gestão das expectativas. Não nos podemos distrair a pensar no último jogo nem a achar que os números traduziram exatamente aquilo que se passou no campo. Não foi exatamente assim", advertiu o técnico, em conferência de imprensa.

Uma semana após ter "selado" a primeira vitória na edição 2021/22 da I Liga diante dos pacenses (3-0), os "axadrezados" voltam a receber um adversário inserido nas fases iniciais da Liga Conferência Europa e a meio do "play-off" com os sérvios do Partizan.

"Trabalhámos em cima deste assunto durante a semana. Partimos do princípio de que teremos uma tarefa complicada frente a um oponente com bons resultados e exibições. Quase todos os duelos do campeonato serão extremamente competitivos e difíceis. Há que ter cuidado, porque não vamos tirar partido de nada sem competência", sublinhou.

Reconhecendo que o plantel tem "humildade suficiente" para perceber que os adeptos serão parte "fundamental" no sucesso do Boavista, João Pedro Sousa desvalorizou a possível ausência do brasileiro Carlos Júnior, autor de metade dos 12 golos do Santa Clara esta época, anunciado na sexta-feira como reforço dos sauditas do Al Shabab.

"Independentemente de quem jogar, encontraremos uma equipa forte e com capacidade individual acima da média em alguns setores. Não podemos fugir do desgaste do Santa Clara nesta fase da época com densidade competitiva muito grande, mas, por outro lado, isso também prova que está a dar respostas muito positivas e competentes", analisou.

Quanto ao mercado de transferências, os portuenses anunciaram esta semana o defesa Tiago Ilori, do médio Ilija Vukotic e do avançado Manuel Namora, trio de contratações capaz de "acrescentar em qualidade e quantidade" e trazer "riqueza ao treino e ao jogo".

Em equação está ainda a chegada de "mais um ou outro" reforço, "principalmente para a parte mais ofensiva", com o intuito de acautelar uma possível venda do hondurenho Alberth Elis, cujo ingresso nos franceses do Bordéus tem sido veiculado pela imprensa.

"Mal seria se colocasse de lado fosse quem fosse só porque há a possibilidade de sair. Parto do princípio de que os jogadores do Boavista têm qualidade, pelo que o mercado pode funcionar e perdermos alguns a qualquer momento. Espero que não aconteça, mas também ficamos muito orgulhosos pelo facto de os nossos atletas partirem para clubes com outra dimensão. A gestão fica entregue a quem gere", concluiu João Pedro Sousa.

O Boavista, sétimo colocado (três pontos), recebe o Santa Clara, 15.º classificado (um ponto), na segunda-feira, às 21h15, no Estádio do Bessa, no Porto, encontro que encerra a terceira jornada da I Liga. Tiago Martins será o árbitro.