Jesualdo Ferreira: "O Boavista não está em maré de sorte"

Jesualdo Ferreira: "O Boavista não está em maré de sorte"

Treinador do Boavista falou no final da receção ao Sporting, que terminou com vitória dos leões por 2-0

No final do jogo com o Sporting, Jesualdo Ferreira, treinador do Boavista, considerou que a sua equipa "fez o que tinha a fazer" e que podia "ter feito um golo na segunda parte".

Golo de Nuno Santos, aos 22', e o peso que teve no Boavista:

"Os problemas que tivemos esta semana obrigaram-nos a adaptar três jogadores e isso obrigou também a mudar um pouco aquilo que tem sido o sentido de jogo e a estratégia da equipa. O nosso pensamento foi tentar enquadrar o que tem sido o jogo do Sporting e ao mesmo tempo não fugir muito daquilo que nós podemos fazer e a alteração que houve ao intervalo, fosse qual fosse o resultado, teria de acontecer, porque uma das coisas que é importante é preparar o Boavista para mais 20 jogos. O campeonato ainda não acabou. É verdade que o Sporting na primeira jogada de perigo, dentro do seu estilo de jogo ofensivo, fez um golo por dez centímetros. Curiosamente, o juiz de linha deu fora de jogo e o VAR confirmou. Na segunda parte, o Boavista, com uma defesa, com um miúdo que nunca tinha jogado e o Rami que é o primeiro jogo que faz, depois de tanto tempo parado, deu uma resposta melhor, porque essa é a forma com que o Boavista tem vindo a jogar e vai continuar. O Boavista obrigou o Sporting a mexer na sua zona de meio campo para poder garantir mais equilíbrios. Fizemos o que tínhamos de fazer e primeiro passava por não expor de uma forma clara aquilo que eram os jogadores novos numa zona nevrálgica. Esse golo marcou-nos, porque não gostamos de sofrer um golo daqueles, especialmente com as dúvidas que houve, mas na segunda parte sofremos mais uma vez, com o nosso lateral direito a fazer um golo de aplaudir mas que é sempre contra nós. O Boavista não está em maré de sorte. Na segunda parte, com os lances que tivemos, podíamos ter feito um golo. O Sporting teve a atitude que esperávamos e tínhamos de responder com as aramas que tínhamos."

Momento em que o Boavista trocou os laterais e o golo de Pedro Porro, aos 77':

"A sorte, às vezes, não anda muito por um determinado lado. Espero que ela nos ajude também, mas acima de tudo que não seja tão madrasta como tem sido. O Boavista não tem tido essa sorte. Agora, o golo do Porro não é um golo de sorte, é um golo de talento e qualidade, mas era escusado naquela altura."

Os resultados da equipa e os próximos jogos:

"Perdemos com o Braga e com o Sporting. Em Tondela, foi diferente, mas todos vimos o que se passou. Perder dois centrais, um aos dez minutos e outro aos 30... não é fácil jogar com nove. A equipa respondeu de forma generosa. Neste jogo, contra o Sporting, o Boavista voltou a dar indicações claras que vai chegar às vitórias. A equipa tem evoluído, merece e tem trabalhado para isso."