Antes da receção ao Braga, Lito Vidigal não esqueceu Jorge Simão

Antes da receção ao Braga, Lito Vidigal não esqueceu Jorge Simão

O atual treinador do Boavista destacou o papel do seu antecessor já na presente época.

O treinador do Boavista, Lito Vidigal, pediu esta sexta-feira, uma semana depois do Boavista ter garantido a permanência na I Liga, um estádio cheio para poder festejar o feito com uma vitória frente ao Braga.

O técnico da equipa axadrezada garantiu que, depois de conseguido o objetivo principal (a manutenção), gostaria de ter o Estádio do Bessa cheio na 33ª e penúltima jornada, para celebrar com os adeptos a conquista da meta que traçou desde que chegou.

"Um dos objetivos que tínhamos era ter uma casa composta. Sempre falámos disso. Era importante contarmos com os nossos adeptos em grande número e espero concretizar neste jogo. Termos 20 mil adeptos, ou mais, era importante para nós. Dissemos que íamos ter época difícil, mas também sempre tivemos a convicção que iríamos festejar juntos no fim. Gostava de ter uma casa cheia para essa festa", referiu o treinador em conferência de imprensa de antevisão da partida com o Braga.

Sobre o adversário, Lito Vidigal revelou estar bem preparado e que o Boavista apenas pensa na vitória.

"Vamos jogar contra uma equipa forte, que cresceu muito nos últimos anos. Tem tentado entrar na disputa de títulos. Mas pensámos sempre primeiro em nós, tendo sempre respeito pelo adversário. Olhar para nós e perceber o que somos e o que podemos fazer mais é fundamental. Era importante que os jogadores mantivessem o nível", afirmou ainda.

Lito Vidigal não acredita num Braga desmoralizado e mais fraco pelo facto de já não poder lutar pelo terceiro lugar e revelou a mensagem que passou aos jogadores para conseguirem lutar pela vitória: "Temos de continuar a ser competitivos e encarar o jogo para vencer, pensando sempre primeiro em nós e naquilo que podemos fazer".

Em relação à manutenção do Boavista na I Liga, Lito Vidigal defendeu que "o objetivo foi conseguido com muito trabalho, dedicação e qualidade", lembrando que, por si só, isso já é um motivo de festa no próximo sábado.

"Vamos festejar por isso. E se conseguirmos uma vitória amanhã [sábado] vamos ter ainda mais motivos para festejar. E é por isso que queremos a casa cheia", admitiu.

O técnico atribui o mérito da manutenção aos adeptos, "que sempre acreditaram" na equipa, à direção, aos jogadores e às equipas técnicas, não esquecendo também o trabalho de Jorge Simão, seu antecessor, que, afirma, "fez um bom trabalho e também foi importante para este sucesso".

O Boavista, 11º classificado, recebe o Sporting de Braga, em quarto lugar, este sábado, 18h00 horas, em jogo da 33ª jornada da I Liga.