Afinal, Ibrahim Koneh está apto para competir

.

Exame corrobora a versão que o empresário proclamou durante este mês, que o camaronês pode ser jogador profissional.

O sonho de I Liga não está a ser fácil para Koneh. Subiu do distrital ao principal campeonato, mas tudo deixou de ser cor-de-rosa no final da pré-época, por alegada insuficiência cardíaca.

O empresário negou que o atleta tivesse qualquer problema de saúde, num desagrado público para com o clube do Bessa e afirmou tudo estar a fazer para provar que o camaronês podia perseguir o seu sonho. A confirmação chegou na quinta-feira, a tempo de apanhar o fim do mercado de transferências, através de um relatório médico a que O JOGO teve acesso, e assinado pelo cardiologista de um dos três grandes do futebol nacional. A ressonância magnética, repetida após "quatro semanas de destreino", dá, com "99 por cento de probabilidade", que o atleta de 23 anos "poderá fazer desporto de competição".

"O relatório mostra que a hipertrofia apontada não era de doença, mas de esforço. Já informámos o treinador do Boavista, mas neste momento o Koneh é um jogador livre", disse José Carlos Ferreira, empresário do avançado.

A 1 de agosto o Boavista anunciou o fim do contrato, em comunicado, acrescentando "absoluta disponibilidade para o que este venha a entender ou solicitar no futuro". Contactado pelo nosso jornal, o Boavista alegou desconhecer este relatório médico e nada mais acrescentou sobre o assunto.