Zivkovic recusa sair do Benfica: o finca pé do sérvio e o salário que sobe

Zivkovic recusa sair do Benfica: o finca pé do sérvio e o salário que sobe
Pedro Miguel Azevedo/Vítor Rodrigues

Tópicos

O jogador e o pai, seu representante, não aceitam saída para outro clube nesta janela de mercado.

O Benfica está a ter dificuldades em conseguir negociar a saída de Zivkovic, jogador que não entra nos planos de Bruno Lage para o resto da temporada e cujo salário representa grande peso.

Ao que O JOGO sabe, e mesmo tendo havido possibilidade de fazer o extremo sair nesta janela de mercado para um clube onde pudesse ter o espaço para jogar, o extremo sérvio fez finca pé e recusou a saída.

Tal como O JOGO revelou anteriormente, o Olympiacos, de Pedro Martins, foi um dos clubes para onde Zivkovic poderia ter rumado, mas o jogador e, principalmente o seu pai, que é também seu representante, não se mostrou interessado. Mesmo sabendo que, ficando no Benfica, continuará a ser carta fora do baralho de Lage, o sérvio prefere ficar e auferir o seu salário até ao final do contrato, válido até junho de 2021.

Chegado ao Benfica em 2016/17 após ter deixado terminar o contrato com o Partizan, Zivkovic tem um dos salários mais elevados do plantel encarnado e, na próxima temporada, a última pelas águias, vai beneficiar de novo aumento. Segundo acordado no contrato fechado inicialmente com Luís Filipe Vieira, a cada ano o valor a receber iria subindo de forma automática, sendo que, na derradeira temporada, passaria a receber 4,9 milhões de euros, cerca de 2,5 milhões de euros líquidos.

A SAD ainda não desistiu de colocar Zivkovic, mas a atitude do atleta e do seu pai, de intransigência quanto a deixar os encarnados, faz antever que o extremo vai mesmo ficar até ao termo do vínculo, saindo então a custo zero, como sucedeu no Partizan. A saída de Fejsa, também sérvio e colega próximo de Zivkovic, era vista como incentivadora para o jovem de 23 anos também procurar novo desafio, mas tudo aponta que nem isso mudará o cenário presente.