Yaremchuk na seleção da Ucrânia: "Temos de lembrar ao mundo que a Rússia é o agressor"

Yaremchuk na seleção da Ucrânia: "Temos de lembrar ao mundo que a Rússia é o agressor"

Jogador do Benfica integrado na seleção que a 1 de junho defronta a Escócia para o primeiro jogo do play-off de qualificação para o Mundial do Catar.

Roman Yaremchuk já está a trabalhar com a seleção ucraniana que irá disputar o play-off de qualificação para o Mundial 2022, na Escócia. O jogo com os escoceses será disputado dia 1 de junho e o vencedor deste encontro defronta, a 5 de junho, o País de Gales, que eliminou a Áustria. "É importante que a seleção da Ucrânia se mostre no estrangeiro. Afinal, a atenção dos adeptos estará focada em nós, por isso temos de fazer o melhor que pudermos e lembrar ao mundo que a Rússia é o agressor. E temos de apurar-nos para o Catar", defendeu o jogador do Benfica, em declarações à imprensa local.

O ponta de lança de 26 anos não esconde a importância de voltar a estar com os seus companheiros, uma vez que tudo mudou depois da invasão russa, a 24 de fevereiro. "Já referi que é muito bom regressar à seleção e poder ver os meus companheiros. Tivemos um reencontro muito caloroso. As emoções são positivas e o mais importante é que estamos todos bem e vivos", afirmou, mostrando uma natural preocupação com a sua família. "Treinamos em tempo de guerra, mas tenho muitos amigos que estão na linha da frente. Os meus pais estão em Lviv, falamos ao telefone quase meia hora por dia, pergunto sempre como estão as coisas. Claro que estou muito preocupado com a situação", explicou.

Representar a seleção é sempre uma motivação e nesta altura ainda maior é a vontade de estar no Mundial do Catar. "Não estou muito exausto com a época no Benfica, está tudo bem. Vou preparar-me para os jogos da seleção, é uma grande motivação", referiu o jogador que esta épooca fez, no Benfica, nove golos em 42 jogos.