"Vinícius esteve quase a desistir do futebol porque não ganhava o suficiente"

"Vinícius esteve quase a desistir do futebol porque não ganhava o suficiente"
Pedro Miguel Azevedo

Tópicos

Com o bis na Taça, soma quatro golos em sete jogos e bate De Tomás e Seferovic. Quem o conhece bem, como Alexandre Santos, que o treinou no Real, vê nele a arma ideal para abater a equipa francesa.

Carlos Vinícius arrancou a época atrás de Raúl de Tomás e de Seferovic, no que respeita a favoritismo nas opções de Bruno Lage, mas o rendimento do brasileiro nas últimas partidas está a aumentar-lhe as possibilidades de ser titular frente ao Lyon, na quarta-feira, para a Champions. Após o bis, e uma assistência, frente ao Cova da Piedade, para a Taça de Portugal, o camisola 95 das águias tornou-se no ponta de lança com mais golos (4), sendo apenas superado pelos dez tentos de Pizzi. Mas, mais do que isso, é o avançado mais letal do Benfica na zona de finalização, mesmo com menos minutos: 189", contra os 731" de Raúl de Tomás e os 891" de Seferovic.

Titular pela primeira vez no Benfica, Vinícius fez dois remates na direção da baliza do Cova da Piedade, faturando em ambas e confirmando a eficácia de cem por cento: sempre que acertou no alvo, a bola entrou. E só precisou de sete tiros para fazer os seus quatro golos, em contraponto com De Tomás (32 remates para um golo) e Seferovic (27 disparos para três golos). Embora no passe, a concorrência seja globalmente mais eficaz, na finalização, nos dribles e nos duelos ofensivos o brasileiro destaca-se mais. Dados que ajudam a alimentar as hipóteses de o ex-Nápoles ser arma frente ao Lyon. Alexandre Santos, que o treinou no Real Sport Clube, na época em que Vinícius chegou a Portugal, em 2017/18, acredita que o ex-pupilo está pronto para a Liga dos Campeões. "Pode ser opção, claro, pois tem entrado bem, marca golos e isso é como uma bola de neve. Só quem trabalha diariamente com os jogadores saberá quais são as melhores sintonias, mas não me espantaria que Vinícius ganhasse a posição a Raúl de Tomás. Penso que se pode complementar bem com Seferovic, fazendo uma dupla de jogadores fortes, potentes e rápidos", analisa a O JOGO o agora treinador-adjunto do Caen, da II liga francesa. Conhecedor do futebol gaulês, o técnico português vê Vinícius a fazer mossa no Lyon: "Bruno Lage perceberá, pelo dia a dia, se ele será a melhor opção para o jogo com o Lyon. Eu vejo-o como uma mais-valia para esse jogo porque o Lyon, como a maioria das equipas francesas, é muito forte do ponto de vista defensivo. Aí, a compleição física de Vinícius e a sua capacidade de segurar a bola na luta com os centrais e com os médios-defensivos, muito agressivos, pode ajudar muito."

Do jogo com o Cova da Piedade, Alexandre Santos reteve a cada vez melhor eficácia de Carlos Vinícius no capítulo do remate. "Fez dois golos à sua imagem, semelhantes a vários que fez na II Liga pelo Real [Sport Clube]. Ele surpreendia com a sua espontaneidade, potência e capacidade de explosão, mas hoje tem uma capacidade de finalização ainda maior" entende o treinador, que vê no avançado "potencial para ir ainda mais longe, por ter uma morfologia e recursos que poucos pontas de lança têm". Alexandre Santos conta, ainda, que Vinícius, contratado pelo Benfica por 17 milhões, "esteve quase a desistir do futebol pois no Brasil não ganhava o suficiente para sustentar a família": "No entanto, foi para Portugal e a sua ambição fê-lo agarrar essa oportunidade com tudo, fruto de uma enorme maturidade."