Vieira aponta exemplo dos Estados Unidos para justificar "não" aos debates

Vieira aponta exemplo dos Estados Unidos para justificar "não" aos debates

Presidente do Benfica deu o exemplo do recente debate entre Trump e Biden.

O "não" de Luís Filipe Vieira a debater com os outros candidatos à presidência do Benfica tem sido um dos principais focos de críticas direcionadas ao líder do clube da Luz e, este sábado, foi o próprio que explicou o porquê dessa rejeição.

"Os debates passaram a ser apenas, como se viu no último debate entre os candidatos às eleições norte-americanas, momentos de alvoroço mediático que nada acrescentam, mas que podem acentuar ruturas que quero a todo o custo evitar. Nunca me recusei a debater, mas desde o início percebi que a razão dos pedidos não era esclarecer, mas provocar", explicou o Vieira num artigo de opinião publicado no semanário Expresso. Sobre a sucessão, vinca que o Benfica "não é uma monarquia".

"O Benfica não é uma monarquia, mas também não pode regressar à anarquia que num passado recente quase nos condenou ao desaparecimento", rematou o presidente das águias.