Operação Lex: Luís Filipe Vieira acusado em processo de corrupção

Operação Lex: Luís Filipe Vieira acusado em processo de corrupção

Vieira é acusado de recebimento indevido de vantagem.

O Ministério Público anunciou esta sexta-feira a acusação de 17 arguidos, entre os quais Luís Filipe Vieira e Rui Rangel, na Operação Lex. O Ministério Público (MP) anunciou, esta sexta-feira, a acusação de 17 arguidos, na Operação Lex, por crimes de corrupção passiva e ativa para ato ilícito, recebimento indevido de vantagem, abuso de poder, usurpação de funções, falsificação de documento, fraude fiscal e branqueamento de capitais. Luís Filipe Vieira é um dos acusados.

Conforme o DN já tinha antecipado, entre os dezassete acusados está também Luís Filipe Vieira e José Veiga. A Procuradoria Geral da República (PGR) considera-os suspeitos da ​​​​​​​prática dos crimes de corrupção passiva e ativa para ato ilícito, recebimento indevido de vantagem, abuso de poder, usurpação de funções, falsificação de documento, fraude fiscal e branqueamento.

>> O caso de Luís Filipe Vieira

Um dos casos neste inquérito envolve Luís Filipe Vieira e refere-se um processo de execução fiscal contestado pelo presidente do Benfica e sobre o qual Rangel pediu informações aos magistrados envolvidos. O presidente do Benfica é acusado de recebimento indevido de vantagem.

Apesar de não ter conseguido influenciar um desfecho favorável a Vieira - o pagamento de 1,6 milhões de euros não foi anulado -, a investigação registou que Rangel beneficiou de ofertas de lugares na tribuna presidencial do Estádio da Luz e de viagens ao estrangeiro. Aliás, no processo estão transcritas várias mensagens entre Rangel e os dois homens do Benfica que faziam a ligação entre Vieira e o magistrado, ou seja, Fernando Tavares e Jorge Barroso.