Trapattoni tinha estratégia para acalmar adeptos do Benfica: "Mandava-me levantar"

Trapattoni tinha estratégia para acalmar adeptos do Benfica: "Mandava-me levantar"
Paulo Nunes Teixeira

Tópicos

Mantorras falou à BTV sobre o papel na conquista do título de campeão nacional em 2005 e até recordou uma estratégia da "velha raposa".

Lesão e entrada para "resolver": "Era difícil, porque o coletivo era muito forte, havia pessoas que puxavam por mim, estive praticamente 3 anos sem jogar futebol e nessa época fui importante porque as pessoas acreditavam em mim como, como o Nuno [Gomes] e o Ricardo [Rocha], os mais velhos ajudaram-me bastante, às vezes não estava a 100 por cento, mas a motivação e o querer vencer deram-me força para ajudar o grupo a vencer o campeonato".

Reação do público quando aquecia: "O impacto era muito grande, às vezes Trapattoni mandava-me levantar e aquecia para acalmar os adeptos, porque às vezes não estava a correr bem. Foi do outro mundo jogar no Benfica".

Fim do jogo no Bessa, o jogo do título: "Foi especial, há 11 anos que o Benfica não ganhava e hoje é o que é, foi o início depois de 11 anos. Todos vivemos um sonho e pensávamos que era impossível, mas tornou-se realidade".

Recuperação da grave lesão no joelho: "O grupo ajudava toda a semana, no dia a dia, Rodolfo Moura ajudava na preparação, era engraçado, eu só treinava com o grupo à quinta e sexta-feira para proteger o joelho, quando isso acontecia ficava a 100 por cento e Trapattoni explicava-me o que queria, já sabia que podia entrar quando as coisas estavam mal, naqueles 15 ou 20 minutos finais. Ajudei nos bons e nos maus capítulos, porque em primeiro lugar estava o grupo. O José Veiga também ajudava, como o presidente, eu sabia o que podia e não podia fazer, dei tudo e vencemos".