Svilar: as críticas já lá vão e há uma nova porta que se pode abrir

Svilar: as críticas já lá vão e há uma nova porta que se pode abrir
Pedro Miguel Azevedo

Tópicos

Sem espaço como titular nas águias, o belga quer jogar. O ex-clube está atento a um empréstimo.

De férias na Bélgica, Mile Svilar aguarda por avanços no mercado que definam o seu futuro na próxima época.

Sem espaço no plantel de Bruno Lage, pelo menos enquanto Vlachodimos se apresentar como principal opção, o jovem de 20 anos está disponível para avaliar propostas de empréstimo para um clube onde tenha mais possibilidades de ser titular, perfilando-se agora, sabe O JOGO, mais um eventual pretendente: o Anderlecht.

Segundo apurámos, o clube de Bruxelas tem acompanhado a situação de Svilar no Benfica e não descarta apresentar uma proposta pelo jogador que, recorde-se, daí saiu em 2017/18, com 17 anos, para assinar pelos encarnados, que, apesar de o atleta estar apenas a um ano de terminar contrato, investiram então 4,55 milhões de euros na aquisição de 90 por cento do passe do guarda-redes.

Apesar de a saída do Anderlecht não ter sido totalmente pacífica - foi alvo mesmo de fortes críticas na altura -, com o jovem a exigir ter mais peso na equipa para poder renovar, a verdade é que muita coisa mudou: o técnico é outro, assim como a estrutura que gere o futebol profissional. E da parte do atleta, que chegou a atuar nos bês, há também a vontade de poder competir, após duas épocas onde pouco jogou e viu a carreira estagnar.

Standard continua na corrida

Na Bélgica, como O JOGO também revelou, o Standard perfila-se como disponível para receber os serviços de Svilar, jogador que agrada ao técnico Michel Preud"homme. A boa relação deste com o Benfica, onde jogou, abre portas a um entendimento, embora ainda falte definir qual o melhor formato do mesmo: ou um empréstimo simples de uma época ou uma transferência com opção de recompra para as águias. O Benfica prefere ver Svilar jogar regularmente mas a decisão final poderá não ser tomada já, até porque a saída de Vlachodimos (a Roma segue o grego) é um cenário em aberto.