"Só há um Ederson e um Neuer, mas coloca bem a bola"

"Só há um Ederson e um Neuer, mas coloca bem a bola"
Paulo Nunes Teixeira

Tópicos

Zeca, médio do Copenhaga, que jogou com o futuro guarda-redes do Benfica, considera que Vlachodimos precisa de melhorar as saídas da baliza nos cruzamentos e cantos

Garantido pelo Benfica até 2023, numa operação que custou 2,4 milhões de euros aos encarnados, Vlachodimos já se despediu do Panathinaikos e prepara-se para lutar pela titularidade nas águias. Para Zeca, médio do Copenhaga, que partilhou o balneário com o guarda-redes na Grécia, Vlachodimos está pronto para dar o salto e vai acrescentar valor ao plantel do Benfica. "É um guarda-redes com muito potencial e um excelente profissional que gosta muito de ouvir e aprender. Para mim, poderá ser o número um do Benfica, mas não na fase inicial. Com tempo e trabalho, vai conquistar o lugar, sem tirar mérito aos atuais guarda-redes", afirma Zeca a O JOGO.

No entanto, no entender do médio de 29 anos, Vlachodimos precisa de aprimorar vários aspetos para bater os concorrentes. "Nos cruzamentos e cantos tem de ser mais autoritário", sublinha Zeca, dando conta de outras valências do antigo companheiro de equipa, internacional sub-21 alemão. "É muito forte entre os postes também quando surgem jogadores isolados e é um guarda-redes que lê bem o jogo nas costas da defesa. Está sempre atento", aponta o internacional grego, referindo que Vlachodimos joga adiantado. "A partir do momento em que adquiriu mais confiança e passou a conhecer a nossa defesa, passou a jogar mais adiantado em relação à linha de baliza. Desenvolveu essa característica, quase como líbero, como se vê nos guarda-redes alemães. Isso é importante num grande clube", constata, garantindo que "joga bem com os pés". "Só há um Ederson e um Neuer, mas coloca bem a bola. Precisa de ter a confiança do treinador para crescer. Ele está ciente da grande responsabilidade que terá no Benfica", diz.