Siqueira revela detalhes sobre a ida para o Benfica: "Algo me diz que tenho de ficar..."

Siqueira revela detalhes sobre a ida para o Benfica: "Algo me diz que tenho de ficar..."

Lateral, contratado em 13/14, ingressou no clube encarnado após uma transferência para o Real Madrid ser abortada

A vida de um jogador também dá voltas e mais voltas. A 31 de agosto de 2013, Guilherme Siqueira, que viria a notabilizar-se pelo Benfica, viveu muita indefinição até à hora limite do período de transferências dessa época. O então jogador do Granada, na lista de vários emblemas europeus, voou para Lisboa, com o intuito de assinar pelo Benfica, esteve com um pé no Real Madrid, assinou até um vínculo com os merengues, mas, num volte-face tardio, o Estádio da Luz foi, no fim, o destino do jogador.

"Na manhã de 31 de agosto o meu agente ligou-me a falar-me do Benfica. Disse-lhe: 'vamos'. Quando estávamos a entrar no avião, há uma proposta do Manchester United pelo Fábio Coentrão e o Real Madrid liga-me. Queriam que fosse para lá. Era como um prémio. Quando cheguei a Lisboa, tinha chamadas do presidente do Granada, dos meus agentes e, claro, de pessoas de Portugal. Assinei um contrato no aeroporto de Lisboa com o Real Madrid e esperei para ver o que acontecia", principiou Siqueira, que se manteve expectante por causa da diferença horária e salvaguardado. "Como em Espanha é uma hora a mais [em relação a Portugal], tinha tempo caso não corresse bem".

O Real Madrid não foi a tempo de conseguir inscrever o jogador, nos serviços administrativos da La Liga, e a transferência foi abortada, pelo que o lateral foi convidado a regressar a Granada, mas este seguiu a intuição e não deixou Lisboa.

"Ligou-me o presidente do Granada para me dar os parabéns, que só faltava o documento para o Real Madrid. De repente, depois minutos depois, ligam a dizer que a La Liga não aceitava o documento por causa da hora. Liga-me então o José Ángel Sánchez a pedir para que voltasse. Mas sabia do interesse do Benfica, o quanto me queriam e disse-lhe: 'há algo que me diz que tenho de ficar em Portugal'. E fiquei. E, no final, correu tudo super bem", acrescentou o ex-benfiquista.

Siqueira, que se retirou em 2017, foi um dos jogadores mais acarinhados pela massa adepta do Benfica na a época de 2013/14, em que foi dono da lateral esquerda ao longo de 33 jogos oficiais, que culminaram com a conquista da Liga e da Taça.