Saída de Gedson abre vaga para Bruno Guimarães no Benfica

Saída de Gedson abre vaga para Bruno Guimarães no Benfica
Vítor Rodrigues

Tópicos

O camisola 83 dos encarnados deixa hoje Lisboa e inicia uma nova aventura na ainda curta carreira. Para já segue por empréstimo válido por ano e meio, mas a intenção passa por convencer e não voltar.

Esta segunda-feira abre-se um novo capítulo da ainda curta carreira de Gedson Fernandes, podendo a mesma ter ligação direta com a história ainda pouco extensa de outro jovem, Bruno Guimarães, que poderá em breve aproveitar a porta deixada aberta e ingressar no plantel encarnado. Pelo menos, segundo O JOGO apurou, são estes os contornos da planificação desportiva decidida por Luís Filipe Vieira, em acordo com a estrutura do futebol e, principalmente, o treinador Bruno Lage.

O camisola 83 das águias, de 21 anos, está a poucas horas de ser oficializado como reforço do Tottenham, emblema treinado atualmente por José Mourinho. A transferência, inicialmente por empréstimo, está acordada, a viagem do jovem jogador marcada para hoje e o período de ligação definido, um ano e meio. Nesta fase, Gedson tentará convencer os responsáveis do spurs a investir para exercer a opção de compra, não obrigatória, que poderá estar fixada nos 50 milhões de euros, abaixo dos 120 milhões da cláusula de rescisão.

O negócio foi ultimado ontem pela empresa de Jorge Mendes, que chamou a si este processo e descartou o interesse de outros emblemas ingleses, como West Ham, Everton ou Chelsea, colocando ao serviço de José Mourinho uma solução para colmatar a lesão do titular Sissoko. Com esta saída, o médio formado no Seixal terá o seu salário aumentado para valores próximos dos dois milhões de euros, cerca do dobro do que auferia nas águias.

Aberta a vaga, o Benfica está em campo para contratar Bruno Guimarães, médio do Athletico Paranaense de 22 anos. Como O JOGO revelou ontem em exclusivo, já há oferta oficial das águias, segundo confirmou Mário Celso Petraglia, líder do Furacão. Em cima da mesa estão 20 milhões de euros e 10 por cento da mais-valia numa futura transferência, esperando o líder das águias fechar o processo rapidamente, antes que a concorrência aumente o preço.