Rui Costa: "Temos que apostar nas provas europeias, não nos pode chegar Portugal"

Rui Costa: "Temos que apostar nas provas europeias, não nos pode chegar Portugal"
Redação

Tópicos

Presidente demissionário, candidato às próximas eleições presidenciais do Benfica, iniciou, este sábado, na casa do Benfica de Barcelos

Ambição europeia: "Fala-se das nossas prestações europeias. É cada vez mais difícil ganhar uma Liga dos Campeões neste quadro europeu, mas não pode faltar ambição para lutar por melhores resultado. Tem de ser um dos grandes objetivo, as enormes prestações europeias. Não falo só no futebol, mas também das modalidades. Temos de apostar nesse setor, não nos pode chegar Portugal. Não somos só de Portugal, somos do Mundo"

Importância dos adeptos e ex-dirigentes no início atribulado de época: "Quando entrámos neste turbilhão [saída de Luís Filipe Vieira], foram dois meses muito difíceis. Queria agradecer-vos pela tranquilidade e serenidade como os adeptos enfrentaram este momento. Só assim foi possível, a 9 julho, quando assumi a presidência do clube, chegar aos objetivos que nos propusemos naquele dia. Era preciso que o clube criasse estabilidade num momento raro e de grande dificuldade, de perda de orgulho. Quero agradecer a todos os elementos da Direção pela lealdade e serenidade que permitiram que fossemos trabalhando na busca dos objetivos definidos até 31 de agosto. Uma nota para Varandas Fernandes e José Eduardo Moniz [de saída do clube]. Nem sempre foram reconhecidos como grandes benfiquistas, o que é um engano muito grande. Devo agradecer a lealdade e o compromisso. Ajudaram-me a conseguir o empréstimo obrigacionista, a chegar à Champions, na preparação da época. Este é o Benfica, que se une num momento de dificuldade. Temos de estar cada vez mais unidos e juntos, assim somos cada vez mais imparáveis."

Eleições íntegras e união: "Muito se tem discutido. Também faz parte que o ato eleitoral seja democrático, que tenha o maior rigor e transparência. Iremos fazer já isso nas próximas eleições. Os momentos que temos passado não têm sido fáceis, o clube desuniu-se. A partir destas eleições, ganhe quem ganhar, que nos olhemos a todos na cara e possamos dizer que somos do Benfica, que o clube fique mais unido aconteça o que acontecer."