Revelações de Darwin: "Quando a bola foi para a lateral veio à cabeça o que Jesus me disse"

Revelações de Darwin: "Quando a bola foi para a lateral veio à cabeça o que Jesus me disse"
Marco Gonçalves

Tópicos

Dizendo-se "agradecido" ao treinador e a Rui Costa, responsáveis pela sua contratação, admite estar a aprender com Jesus e quer retribuir. Para o Uruguai, fala de uma "mudança tremenda" para a Luz.

Com quatro golos nos últimos dois jogos, ante Lech Poznan e Belenenses, que se seguiram a cinco assistências nos primeiros cinco desafios pelas águias, Darwin está em alta na Luz. E o avançado atribui o mérito desse destaque a Jorge Jesus, que procura moldar-lhe as características. "No Almería jogava mais como 9, agora Jesus diz-me sempre para me movimentar para o espaço, para explorar o espaço, porque esse é o meu ponto forte, pois sou muito rápido", contou, em entrevista ao programa "100% Deporte", da rádio Sport890, do Uruguai.

"Está sempre a falar comigo e a apoiar-me. Fê-lo sobretudo quando os golos não estavam a aparecer. Dá-me muito ânimo e confiança, agora tenho de dar a resposta e retribuir-lhe", confessou, "agradecido" ao técnico e a Rui Costa - "foram os dois que me trouxeram para cá", adiantou -, e explicando o que pretende Jesus. "Nos treinos diz que faça o que sei, mas que tenho de aprender situações de jogo, que tem um estilo de jogo muito diferente do que eu estava habituado, está a ensinar-me movimentos que não tinha claros", referiu, revelando que o 2-1 frente ao Lech Poznan, de cabeça, resultou das lições de Jesus. "O primeiro golo é de um movimento que o míster me ensinou na área. Quando a bola foi para a lateral, nesse momento veio-me à cabeça o que ele disse, para ir ao primeiro poste, por sorte a bola entrou no primeiro poste, onde estava. Mas pensei que ia passar por mim, jamais pensei que ia chegar à bola, ela vinha muito alta. Por sorte cheguei e marquei", atirou, sublinhando que acreditava na estreia a marcar nessa partida.

Porém, "não esperava marcar três", disse, garantindo que estava "tranquilo" apesar de não marcar. "Os avançados vivem de golos, mas às vezes a baliza fecha-se. Mas sabia que estava a fazer as coisas bem", declarou, assumindo ter feito "uma mudança tremenda". "A cidade de Almería era linda, mas pequena, Lisboa é maior. Para ir ao centro, de onde estou, demoro meia hora. Mudei muito, o Benfica é um clube grande, para mim está a ser um sonho. Tenho 21 anos e ainda tenho muito por alcançar", assegurou, ele que ainda vive, com a namorada, num hotel, enquanto procura casa, contando que Franco Cervi, primeiro, Everton e também Otamendi são os que mais o têm ajudado na adaptação e que até fala "portunhol" para se fazer entender.
E com a ajuda de Coates, que joga "numa equipa grande de Portugal", está a par da realidade da I Liga.

"Aqui todos os jogos são difíceis, todas as equipas são fortes e quando jogam contra Benfica, Sporting ou FC Porto, equipas como Tondela sempre fazem mais. O campeonato vai ser muito difícil", afirmou, dizendo-se "muito feliz pelos golos e pela forma como as coisas estão a sair".