Reforços são para acelerar: confira os processos que o Benfica tem em vista

Reforços são para acelerar: confira os processos que o Benfica tem em vista

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Vítor Rodrigues

Tópicos

Diretor desportivo das águias vai voltar ao terreno, com nomes em carteira para entradas e saídas. Objetivo do presidente Rui Costa, com concretização de Rui Pedro Braz, passa por dotar o plantel das principais novas armas desejadas até final do mês, mas também desatar alguns nós nas dispensas.

O Benfica tem em marcha uma profunda reformulação no quadro de jogadores com vista à próxima temporada e, mesmo faltando cerca de uma centena de dias para o fecho do mercado, os responsáveis pelo futebol da águia têm nos seus planos a aceleração, sobretudo até final deste mês, da concretização das principais movimentações previstas, como forma de começar bem cedo a moldar o plantel que será colocado à disposição do técnico Roger Schmidt.

Nesse sentido, e um pouco à imagem do que aconteceu na semana passada, será o diretor desportivo, Rui Pedro Braz, a procurar agilizar vários processos que estão já em marcha mas ainda por concluir. Depois da viagem à Alemanha e Argentina, este responsável, apurou O JOGO, voltará ao terreno, com viagens e reuniões programadas no sentido de acertar agulhas quanto a entradas e saídas de jogadores.

De momento, o Benfica tem um reforço oficialmente contratado, o ponta de lança Petar Musa, que se muda do Boavista para a Luz, mas há vários nomes que os encarnados pretendem fechar com brevidade, como são os casos de Ristic, Alexander Bah, Mario Gotze, David Neres e Ricardo Horta, sendo este o único a resolver em território nacional.

Ristic termina contrato com o Montpellier, mas o lateral-esquerdo, além da proposta de renovação ainda de pé, tem outros emblemas no seu encalço, o mesmo sucedendo com Bah, defesa direito do Slávia de Praga, muito pretendido e com um preço definido pelos checos de dez milhões de euros. O médio alemão Gotze terá cláusula de rescisão de quatro milhões no PSV. O extremo Neres implica acerto de contas já acordado com o Shakhtar mas falta acerto salarial, sendo mais complicado o processo de Horta, pedindo o Braga acima dos 15 milhões de euros para o libertar. O médio Enzo Fernández, por quem o River Plate exige 20 milhões de euros, poderá ser um caso mais demorado.

De resto, há ainda as saídas e a lista é extensa, dado incluir jogadores que as águias querem negociar ou por quem há a expectativa de surgimento de propostas irrecusáveis. Outros dossiês, nomeadamente dos emprestados que regressam e não entram nos planos, serão também incluídos na lista de assuntos a tratar.