PSG prepara 120 milhões de euros para levar Darwin

PSG prepara 120 milhões de euros para levar Darwin
Vítor Rodrigues

Tópicos

Encarnados já há algum tempo que têm cimentado o cenário de perder o uruguaio neste mercado e à SAD já chegaram ecos do interesse do clube francês, mas também de outros colossos europeus.

O ataque é uma das áreas em que o plantel encarnado mais irá sofrer mudanças, a começar logo com a saída de Darwin. Muitos são os colossos europeus que se têm posicionado no sentido de garantir o dianteiro do Benfica, mas há um que tenta já colocar-se na liderança da corrida e com muitos milhões em cima da mesa. Trata-se do Paris Saint-Germain, clube cuja intenção de contratar o uruguaio já é conhecida na Luz, e que estará já a preparar uma oferta em torno de... 120 milhões de euros (a cláusula de rescisão ascende a 150 milhões) para superar toda e qualquer concorrência.

Nas últimas horas, o "The Athletic", conceituado site inglês de informação desportiva, anunciava que os dirigentes do emblema parisiense estariam já convencidos a subir a parada por Darwin, tendo colocado o nome do uruguaio no topo da lista de reforços para a próxima época. Nesta, o PSG já não deverá ter a estrela Kylian Mbappé, que está em final de contrato e deverá vincular-se ao Real Madrid, mas também poderá transferir outro avançado, Mauro Icardi, por ausência de rendimento desportivo, além da saída já anunciada do extremo Di María, também livre.

O interesse do PSG no dianteiro de 22 anos que leva 34 golos no currículo da temporada já é conhecido pelos responsáveis da SAD benfiquista, num processo que será intermediado pelo empresário Jorge Mendes. Porém, também é sabido que outros clubes, como Manchester United, Chelsea e Atlético de Madrid, sobretudo estes, estão também na corrida pelo jogador contratado em 2020 ao Almería por 24 milhões de euros e que agora poderá sair pelo mesmo montante que rendeu João Félix. Seja qual for o destino, a venda de Darwin é vista como inevitável pelos encarnados e como fonte de liquidez que irá suportar em grande parte a revolução que acompanhará a chegada à Luz do novo treinador, o alemão Roger Schmidt.

Embora seja necessário descontar os 20% da mais-valia na posse do Almería e os 10% para o anterior grupos de empresários de Darwin (e mais 10% caso seja mesmo Jorge Mendes a selar o acordo), além do encaixe que poderá resultar do empréstimo obrigacionista de 40 milhões de euros anunciado na terça-feira, o impacto da transferência de Darwin permitirá às águias atacar o mercado com outros argumentos.

Tendo em conta os planos que apontam para a saída de praticamente uma dezena de jogadores do atual elenco, este bolo será decisivo para financiar a entrada de igual número de reforços, que apenas poderá ser atenuado caso o sucessor de Nélson Veríssimo, na última avaliação que irá fazer, opte por preencher mais vagas com jovens provenientes da formação.

Certa está, acredita-se na Luz, a venda de Darwin, que ainda na quarta-feira foi eleito o melhor jogador da Liga no mês de abril, numa distinção promovida pelo Sindicato dos Jogadores, superando Ricardo Horta e Matheus (ambos do Braga). No último mês, o avançado marcou seis golos e ofereceu dois em cinco jornadas.