"Ponham o Pedro Guerra a lateral-direito. Ninguém passava"

"Ponham o Pedro Guerra a lateral-direito. Ninguém passava"

António Simões falou em entrevista sobre o atual momento do Benfica e ainda comentou o caso dos emails, que, admite, é algo que o incomoda.

António Simões vê o atual momento do Benfica como "mais um grande desafio" que o clube tem de ultrapassar. Em entrevista ao DN, o antigo campeão europeu pelas águias apontou alguns erros à construção do plantel às ordens de Rui Vitória e ainda abordou a polémica em redor do caso dos emails, deixando algumas alfinetadas ao comentador televisivo Pedro Guerra.

"Falei disso na altura própria e nunca mais voltei a falar do assunto porque digo as coisas que acho que devo dizer, não tenho de me andar a repetir para convencer de que tenho razão. Prefiro muito mais ser um homem feliz. (...) Digo isto por convicção, porque me desanima, porque me desaponta assistir a esta história toda dos emails. Entristece-me sobretudo ver gente continuar a ter o estatuto de representatividade do clube a quem sou completamente alérgico. Às vezes até me dá vontade de dizer um disparate, que pode nem ser um disparate. O Benfica anda à procura de um lateral direito, ponham o Pedro Guerra a jogar. Porque não o põem a lateral-direito? Pelo menos, por ali ninguém passava, não havia espaço. Tenho vontade de dizer estas coisas. Parece que há reféns disto tudo que está a acontecer e, portanto, ninguém quer tomar decisões. Não quero ver dentro do clube gente que não o prestigia", atirou Simões, garantindo já ter falado com Luís Filipe Vieira sobre o tema:

"Eu não dei ideias nenhumas ao senhor presidente, tive oportunidade em duas ocasiões de expressar o meu desagrado e desapontamento por haver pessoas a representar o clube nas quais eu não me revejo. (...) É o senhor presidente que tem legitimidade para tomar decisões. Não exijo que ele as tome, porque não tenho esse direito, mas tenho o direito a dizer aquilo de que não gosto", acrescentou o antigo jogador do Benfica.