Os insultos dos adeptos e um desastre como o de Vitória em Portimão

Os insultos dos adeptos e um desastre como o de Vitória em Portimão
Pedro Miguel Azevedo

Tópicos

Cerca de duas dezenas de benfiquistas esperaram a comitiva encarnada para exigir a demissão de Lage e de... Vieira.

O regresso da comitiva encarnada a Portugal continental decorreu sob fortes medidas de segurança, que começaram no Funchal e apenas terminaram quando, por volta da meia noite, o grupo entrou no Benfica Campus. Precavendo uma eventual repetição do ataque ao autocarro encarnado como após a derrota com o Tondela e do qual resultou ferimentos em Zivkovic e Weigl, a PSP reforçou os meios, em particular no Seixal. Aí, à espera, estavam cerca de duas dezenas de adeptos enfurecidos com duas tarjas à vista: "Vieira rua" e "Lage rua", foram as mensagens. A PSP, com um fortíssimo dispositivo, manteve os contestatários à distância mas não impediram cânticos e insultos a pedir a demissão de presidente e técnico.

A equipa encarnada chegaria a Figo Maduro, em Lisboa, pelas 23h00, seguindo para o Seixal com batedores e escolta policial, utilizando a Ponte Vasco da Gama em vez da Ponte 25 de Abril. O caminho, aliás, foi diferente do esperado talvez para evitar eventuais "esperas" que pudessem existir pelo caminho. O que não impediu que, à saída das instalações nos próprios carros, os atletas fossem insultado.

Desastre no Funchal como o de Vitória em Portimão
Há cerca de ano e meio o Benfica tinha tido o seu último jogo sem marcar fora de portas em partidas do campeonato, numa ironia que agora se tornou evidente: a 2 de janeiro de 2019 Rui Vitória também perdeu por 2-0 mas em Portimão, naquela que seria a sua derradeira partida no banco dos encarnados. Agora, coube a Bruno Lage, seu sucessor, cair do cargo com igual resultado nesta visita ao Funchal.

Desse jogo frente ao Portimonense para a 15.ª jornada do último campeonato, ao qual Bruno Lage acabaria por dar a volta e sagrar-se campeão nacional, seguiram-se 23 deslocações na liga onde os encarnados nunca ficaram em branco. O fim de ciclo atingido ontem, assinalou ainda a única vez que o técnico agora demissionário viu a sua equipa não marcar fora de portas no campeonato. Nos últimos 13 encontros da liga, o Benfica somou apenas duas vitórias (Gil Vicente e Rio Ave), tendo empatado seis vezes e perdido outras cinco. Aliás, pior só mesmo os sete desaires de 2010/11 mas... em toda a temporada. Um registo que explica bem porque razão as águias perderam a liderança na Liga após terem tido sete pontos de avanço sobre o FC Porto.