Novo CA da SAD: Benfica e José António dos Santos ainda sem acordo

Novo CA da SAD: Benfica e José António dos Santos ainda sem acordo
Marco Gonçalves

Tópicos

Presidente da Mesa da Assembleia Geral da SAD revela não ter recebido até agora "quaisquer propostas adicionais" às apresentadas na reunião de dia 6, que acabou por ser suspensa face à colisão entre as partes.

A constituição do novo Conselho de Administração (CA) da Benfica, SAD continua sem uma solução. Isto porque, segundo revelou Nuno Magalhães, presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG), ainda não há novidades quanto a um entendimento que resolva o choque entre o Benfica e José António dos Santos, conhecido como rei dos frangos.

"Não chegaram ao conhecimento do Presidente da Mesa da Assembleia Geral quaisquer propostas adicionais além daquelas que foram apresentadas" a 6 de janeiro, informa Nuno Magalhães, em comunicado enviado à CMVM, esclarecendo que caso "venha a receber alguma informação adicional relevante a este respeito, promoverá as diligências necessárias para, nos termos previstos na lei, a tornar pública". O PMAG esclarece ainda que apesar da situação indefinida, a reunião magna irá ter lugar dia 24, na qual " serão colocadas à votação as propostas apresentadas e disponíveis nessa data".

Detentor de 16,38% da SAD, o rei dos frangos quer nomear Pires de Andrade para o CA, o que fará cair o último nome indicado pelo Benfica, Rosário Pinto Correia, levando a eleição a uma ilegalidade por não respeitar os 33,3% de representação feminina, como consta no regime de igualdade de género.

Nuno Magalhães refere no comunicado que "a proposta apresentada pelo acionista Sport Lisboa e Benfica para o Conselho de Administração pretendeu assegurar o cumprimento do disposto na Lei n.º 62/2017, apresentando, nessa medida, duas pessoas do género feminino para o cargo de vogal, as quais figuram em último lugar nessa lista", mas sublinha precisamente que, pelo facto de ser detentor de mais de 10% do capital social da SAD e por ter manifestado "a intenção de votar contra" a proposta encarnada, José António dos Santos tem direito a nomear um administrador, no caso Pires de Andrade, sendo que tal "teria tido como efeito a substituição automática da pessoa que figura em último lugar na lista apresentada pelo acionista Sport Lisboa e Benfica, levando a que, em virtude da posição assumida pelos Acionistas Minoritários, a Sociedade ficasse em incumprimento do disposto na Lei n.º 62/2017".